Publicidade

Estado de Minas

Minas registra mais de 420 mil casos prováveis de dengue este ano

Número de notificações já é o segundo pior desde 2010


postado em 18/06/2019 14:34 / atualizado em 18/06/2019 14:50

Pacientes aguardam atendimento no ápice da epidemia em BH, concentrado nos meses de abril e maio(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 28/4/19)
Pacientes aguardam atendimento no ápice da epidemia em BH, concentrado nos meses de abril e maio (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 28/4/19)

Em uma semana, Minas Gerais registrou o aumento de 22.310 novos casos prováveis de dengue. Boletim divulgado nesta terça-feira aponta que, de janeiro até essa segunda-feira (17), a Secretaria de Estado de Saúde (SES) já foi notificada de 421.832 casos da doença – na semana passada, eram 399.522 notificações. Os números são referentes aos casos confirmados e às suspeitas, não necessariamente ocorridos nesta semana, uma vez que as prefeituras têm prazo maior para informar à pasta as ocorrências. 

O relatório divulgado pela pasta também aponta que o número de casos registrados  deste mês já é o segundo maior para junho, levados em conta os dados desde 2010. Neste mês, já foram registrados 8.817 casos prováveis, o que representa uma média de aproximadamente 518 notificações por dia.

Se a média diária continuar até o dia 30, junho de 2019  ultrapassará os dados do mês em 2015, quando foram registrados 14.083 casos; cerca de 469 notificações por dia.

Apesar dos altos números, a dengue mostra sinais de enfraquecimento em Minas Gerais. Em maio, por exemplo, a Secretaria de Saúde chegou a registrar 124.401 casos da doença e em abril o número de notificações ultrapassou os 150 mil - esses dois meses estão entre os piores da enfermidades nos últimos 10 anos.

Mesmo assim, a epidemia deste ano já é uma das piores da história. 2019 só perde para 2016, quando, de janeiro a dezembro, foram registrados 519.050 casos.

Neste ano, já são 77 mortes e 139 estão em investigação para confirmar se tinham relação com a dengue. O maior número de mortes foi registrado em Belo Horizonte e Betim, na Grande BH. Ambas as cidades tiverem 12 casos confirmados. 

Também registraram mortes: Arcos (1), Contagem (2), Curvelo (1), Frutal (2), Ibirité (1), Ituiutaba (1), João Monlevade (1), João Pinheiro (4), Juiz de Fora (7), Lagoa da Prata (1), Martinho Campos (1), Monte Carmelo (1), Paracatu (1), Passos (2), Patos de Minas (1), Pitangui (1), Pompéu (1), Rio Paranaíba (1), Sacramento (1), São Gonçalo do Pará (1), São Gotardo (1), Uberaba (2), Uberlândia (14), Unaí (2) e Vazante (2). 

Zika e chikungunya

Em relação à febre chikungunya, Minas Gerais já registrou 2.435 casos prováveis da doença em 2019. Até o momento, foi notificado um óbito em investigação para chikungunya.

Já em relação à zika, foram registrados 1.193 casos prováveis da doença em 2019, até a data de atualização do boletim.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade