Publicidade

Estado de Minas

Em uma semana, 6,3 mil novos casos de dengue são confirmados em BH

Nos últimos sete dias, a capital mineira apresentou aumento de 19,5% no número de casos. Já são 38.868 pessoas infectadas pelo vírus na cidade desde o início do ano


postado em 14/06/2019 17:47 / atualizado em 14/06/2019 17:55

Cuidados com os focos do Aedes aegypti devem ser mantidos mesmo nesta época de frio e estiagem(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Cuidados com os focos do Aedes aegypti devem ser mantidos mesmo nesta época de frio e estiagem (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Moradores de Belo Horizonte continuam sofrendo os sintomas da dengue. O número de casos da doença aumentou 19,5% em uma semana. Mais 6,3 mil pessoas foram infectadas em apenas uma semana. O que fez os registros saírem de 32,5 mil e saltar para 38.868. Ainda estão sendo investigados 54.419 notificações. As mortes em decorrência da dengue continuam em 12.

Mesmo com o tempo frio, que favorece para frear a proliferação do mosquito Aedes aegypti, os casos não param de subir. Em balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) em 7 de junho, a capital mineira estava com 32,5 mil confirmações. Nesta sexta-feira, em novo levantamento da pasta, passou para 38.868. Foram investigados e descartados 11.647 casos.

A Região do Barreiro continua sendo a líder em casos confirmados. Foram 11.624  registros e outros 645 ainda em investigação. Seguida pela região Nordeste, com 6.164  casos, e 7.954  suspeitos, depois vem a Pampulha, com 4391 confirmados, e 3.902 em apuração.

Zika e Chikungunya


Outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti também vêm aumentando. Segundo a SMSA, foram notificados 175 casos de chikungunya, em residentes de Belo Horizonte. Destes, foram confirmados 47 casos, sendo 12 contraídos no município, 10 importados e 25 contraídos em locais com origem indefinida. Há 128 casos em investigação.

Já em relação ao Zika, foram notificados 228 casos em residentes de Belo Horizonte. Há um caso confirmado para a doença. Outros 131casos foram descartados e 96 permanecem em investigação.


Publicidade