Publicidade

Estado de Minas

Morre mulher que inalou fumaça durante greve geral de sexta-feira

Edi Alves Guimarães estava internada em estado gravíssimo no Hospital Risoleta Tolentino Neves


postado em 17/06/2019 18:13 / atualizado em 17/06/2019 20:41

Mulher inalou fumaça proveniente da queima de pneus(foto: Reprodução/Twitter)
Mulher inalou fumaça proveniente da queima de pneus (foto: Reprodução/Twitter)

Morreu, na tarde desta segunda-feira, a mulher de 52 anos que estava internada por ter inalado fumaça proveniente das manifestações de sexta-feira, contra a reforma da Previdência apresentada pelo Governo Federal. Edi Alves Guimarães estava no Hospital Risoleta Tolentino Neves, em estado gravíssimo desde então. Ela deixa oito filhos.

A assessoria do hospital informou que a morte foi confirmada por por volta das 14h30. Na sexta-feira, o Risoleta Neves informou que Edi teve uma parada cardiorrespiratória, foi reanimada pelos médicos e passou por procedimentos de emergência. Em seguida, foi levada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde permaneceu até esta segunda.

Segundo nota divulgada pelo hospital, parentes da vítima relataram que ela não tinha histórico de doenças respiratórias ou outras complicações que pudessem ter provocado maiores danos de saúde. 

Edi Alves circulava de ônibus pela Avenida Antônio Carlos, nas proximidades da UFMG - um dos pontos de manifestação da greve geral. Segundo a Polícia Militar, a mulher inalou fumaça proveniente da queima de pneus realizadas pelos manifestantes. Ainda de acordo com a PM, os demais passageiros do ônibus não foram intoxicados pela queima dos pneus.


* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade