Publicidade

Estado de Minas

Greve geral: trânsito é lento em diversos pontos do Centro de BH

A Praça Sete foi fechada por manifestantes no início da tarde, o que provocou diversas filas no Centro de Belo Horizonte


postado em 14/06/2019 13:50 / atualizado em 14/06/2019 15:32

Milhares de pessoas participaram do protesto em Belo Horizonte(foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
Milhares de pessoas participaram do protesto em Belo Horizonte (foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)

Manifestações que fazem parte da greve geral contra a reforma da Previdência e cortes na educação continuam na tarde desta sexta-feira. Vias do Centro de Belo Horizonte seguem congestionadas por causa dos atos que acontecem em diferentes locais. O metrô só voltará a funcionar na cidade neste sábado.


Por volta das 13h30, manifestantes chegaram na Praça Sete e fecharam o cruzamento entre as avenidas Amazonas e Afonso Pena. Por causa disso, há congestionamento em diversas vias do hipercentro. Segundo a BHTrans, às 14h04, a pista da Afonso Pena em direção ao Bairro Mangabeiras foi liberada. Dois minutos depois, o outro lado também.



Longas filas de veículos se espalham pela avenida do Contorno, Andradas, próximo a Praça da Estação, no Viaduto Helena Greco, na Avenida Francisco Sales, na Região Hospitalar, na Alameda Ezequiel Dias, no encontro com a Avenida dos Andradas.

Ver galeria . 10 Fotos Leandro Couri/EM/D.A Press
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press )


A manifestação se concentrou na Praça Afonso Arinos e fez passeata até a Praça da Estação, passando pela Afonso Pena até a Praça Sete.  Estudantes da UFMG começaram a passeata por volta das 11 horas, na avenida Alfredo Balena, em frente ao Hospital João XXIII, na Região
central. Eles concentraram na Praça Afonso Arinos, em frente à  Faculdade de Direito, também na Região Central da Capital.

Mais cedo, protestos se espalharam por rodovias mineiras. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), não há interdições nas estradas nesta tarde.

Metrô parado


As estações de metrô de Belo Horizonte vão permanecer fechadas durante toda sexta-feira. Isso porque os metroviários cruzaram os braços na greve geral marcada e não obedeceram nem mesmo a escala mínima determinada pela Justiça. Todas as composições do metrô devem operar normalmente neste sábado, das 5h15 às 23h.

Atendimento em postos de saúde


A área da saúde de Belo Horizonte também foi afetada pela greve geral nesta sexta-feira contra a reforma da Previdência e cortes na área da educação pelo governo federal. Os centros de saúde da capital mineira estão abertos, porém, alguns serviços não são realizados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade