Publicidade

Estado de Minas

Chuva registrada em Belo Horizonte ultrapassou média histórica de junho

Média para todo o mês na capital é 9,7 milímetros. Só no Barreiro, choveu 15,4 milímetros entre os dias 1º e 3. Frente fria que causou o temporal já saiu do estado


postado em 04/06/2019 10:26 / atualizado em 04/06/2019 11:07

Ver galeria . 6 Fotos Marcos Vieira/EM/D.A.Press
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press )


A chuva acompanhada de fortes ventos registrada na noite dessa segunda-feira em Belo Horizonte contribuiu para que os índices dos últimos dias ultrapassassem a média histórica do mês de junho, que é de 9,7 milímetros, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgados pela Defesa Civil. A previsão é de que o restante da semana seja de céu nublado, mas sem precipitação. 

O temporal de ontem derrubou árvores e provocou falta de energia em algumas avenidas de Belo Horizonte.

O balanço do volume de chuva registrado entre os dias 1º e 3 de junho foi divulgado pela Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) da capital na manhã desta terça. A região que concentrou o maior volume de chuva foi o Barreiro, com 15,4 milímetros (159% acima da média), seguida pela Centro-Sul, com 12,2 milímetros. Veja os dados completos:

Acumulado de chuva (mm), por estação, em junho, até 8h de terça-feira (4):    

Barreiro - 15,4 (159%)
Centro Sul - 12,2 (126%)
Leste - 5,4 (56%)
Nordeste - 8,0 (82%)
Noroeste - 8,8 (91%)
Norte - 5,4 (56%)
Oeste - 10,6 (109%)
Pampulha - 7,6 (78%)
Venda Nova - 9,8 (101%)
Média Climatológica Junho: 9,7 mm (Fonte: INMET, 1981-2010)

De acordo com o meteorologista Claudemir Azevedo, do Inmet, a chuva foi provocada pela passagem de uma frente fria por Minas Gerais, que causou o aumento da nebulosidade e chuvas não só na capital, mas em outros municípios das regiões Central, Zona da Mata e Oeste. Antes da chuva, houve forte ventania. Na Estação Meteorológica do Cercadinho, na parte alta da Região Oeste de Belo Horizonte, os ventos chegaram a 96 kms/hora. Na Pampulha, foram 45 kms/hora. Hoje, a frente fria já se encontra no sul da Bahia. 



Azevedo destaca que a chuva de ontem foi atípica. “A média (em junho) é muito baixa. Geralmente ocorrem chuvas ocasionais, mas normalmente é um período de seca”, destacou. Nesta manhã, a capital amanheceu com névoa em alguns pontos. O fenômeno é causado pela dispersão do calor acumulado durante o dia por conta da chuva. 


Publicidade