Publicidade

Estado de Minas

Outra vítima da barragem em Brumadinho é identificada; 32 seguem desaparecidas

Número de mortos identificados chega a 238. Corpo de Bombeiros permanece com buscas intensas


(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)

A tentativa de diminuir a angústia de famílias de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, tem sido efetiva. Na manhã desta sexta-feira, a Defesa Civil de Minas Gerais informou que outra vítima da barragem B1 da Mina Córrego do Feijão foi identificada. Segundo o balanço, 32 pessoas seguem desaparecidas.

Mesmo após 106 dias, as buscas do Corpo de Bombeiros, em Brumadinho, continuam intensas. Nesta terça-feira, 133 bombeiros militares participam da operação, que conta com 19 frentes de trabalho, 112 máquinas pesadas e um drone. Ao todo, são 238 mortos identificados.

De acordo com a corporação, as buscas se concentram em solo mais seco dos remansos, na área dos sítios e na região do acesso da pousada devastada pela lama em Córrego do Feijão. Buscas também são realizadas na Ponte Alberto Flores, onde, segundo os militares, o trabalho deve se estender até as 2h de sábado.

A barragem 1 da mina Córrego do Feijão em Brumadinho se rompeu no dia 25 de janeiro. Os rejeitos atingiram a área administrativa da Vale, uma pousada e comunidades perto da mina. As causas da tragédia ainda não foram esclarecidas.

Ao todo, 13 pessoas foram presas após o rompimento da barragem, sendo 11 funcionários da Vale e dois da TÜV Sud, empresa que atestou estabilidade do local. No entanto, todos os envolvidos foram soltos após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


Publicidade