Publicidade

Estado de Minas

Vacinação contra a gripe só atingiu 32% do público-alvo em BH; Dia D é neste sábado

Todos os 152 centros de saúde da capital abrem, das 8h às 17h, neste sábado para imunizar a população. Haverá atendimento contra a dengue somente em seis postos


postado em 03/05/2019 22:07 / atualizado em 03/05/2019 22:12

 

Acontece neste sábado (4), em todo o Brasil, o Dia D da vacinação contra a gripe influenza. Em Belo Horizonte, todos os 152 centros de saúde (veja mapa acima), espalhados pelas nove regionais da cidade, vão funcionar normalmente, das 8h às 17h, para imunizar o público-alvo. A campanha vai até 31 de maio.


Segundo números da Secretaria Municipal de Saúde, apenas 32% do grupo prioritário foi vacinado até aqui, cerca de 280 mil pessoas. A meta fixada pela prefeitura, conforme diretrizes do Ministério da Saúde, gira em torno de 870,4 mil moradores (90% do total).


O público-alvo se forma a partir das seguintes pessoas:


» Crianças seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias)

» Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade em medidas socioeducativas

» Gestantes

» Mulheres até 45 dias depois do parto

» Mulheres e homens com 60 anos ou mais

» Trabalhadores da área de saúde

» Povos indígenas

» Pessoas privadas de liberdade

» Portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais que comprometam a imunidade

» Professores de escolas públicas ou privadas


Apesar da abertura de todos os centros de saúde, vale ressaltar que somente seis deles vão tratar pacientes com suspeita ou confirmação de dengue. São eles: Santa Terezinha (Pampulha), São Bernardo (Norte), Pompeia (Leste), Betânia (Oeste), Carlos Prates (Noroeste) e Carlos Chagas (Bairro Santa Efigênia, Centro-Sul).

 

Público prioritário pode se vacinar na rede pública de saúde neste sábado(foto: Jair Amaral/EM/DA Press - 23/4/18)
Público prioritário pode se vacinar na rede pública de saúde neste sábado (foto: Jair Amaral/EM/DA Press - 23/4/18)
 


Neste ano, o vírus H1N1, que provocou uma pandemia mundial em 2009, voltou a assombrar moradores de Belo Horizonte. A cidade registrou uma morte de síndrome respiratória provocada por H1N1.


O paciente era um homem de 62 anos, que perdeu a vida em 17 de março. A capital concentra 69% do total de casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) por influenza registrados em Minas Gerais nessa temporada da gripe.


Boletim epidemiológico divulgado na última semana mostra a situação em Minas. Desde o início deste ano, foram 13 casos de SRAG provocados pelos vírus influenza, nove somente em Belo Horizonte.


Desses, 11 foram decorrentes de infecções do H1N1. Outros dois casos foram provocados por influenza A não subtipado e um por influenza B. No período, foram notificadas 41 mortes por SRAG, aproximadamente 9% do total dos casos registrados da síndrome, mas os exames só mostraram a presença de vírus respiratório associado ao caso do paciente que morreu na capital mineira.


INFORMAÇÃO SEGURA


É possível pegar gripe pela vacina?


Não. A vacina contra a gripe é feita com o vírus morto. Portanto, é 100% segura e incapaz de provocar a doença nas pessoas que são vacinadas.


Aplicada em gestantes, a vacina faz mal para o bebê?


Pelo contrário. É muito importante a vacinação das grávidas, pois quando a mãe é vacinada o bebê também fica protegido.


A gripe pode matar?


Se não for tratada a tempo, a gripe pode causar complicações graves e levar à morte, principalmente nos grupos de alto risco, como pessoas com mais de 60 anos, crianças menores de 5 anos, gestantes e doentes crônicos.


Gripe e resfriado são doenças diferentes?


Embora os sintomas sejam muito parecidos, os vírus que causam a gripe e o resfriado são diferentes. A gripe é uma doença mais grave, que causa febre alta, dores musculares, dor de cabeça, dor de garganta e exige mais cuidados para não provocar pneumonia. Já o resfriado é mais brando e dura menos tempo.


A única forma de prevenir a gripe é tomando a vacina?

 

A vacina contra a gripe é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença, porém, existem outras medidas importantes que ajudam na prevenção:


•Lavar e higienizar as mãos com frequência


•Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talher, copo e garrafa


•Evitar tocar mucosas do olho, nariz e boca


•Ter boa alimentação e beber bastante líquido


•Evitar contato com pessoas que estejam com sintomas da gripe


•Manter a casa bem arejada


É preciso tomar a vacina todos os anos?


Sim. Por dois motivos: primeiro, porque a imunidade da vacina se mantém por um período de aproximadamente 12 meses; segundo, porque a cada ano há vírus diferentes circulando, que causam tipos diversos de gripe. A fórmula é produzida a partir dos que estão mais propensos a aparecer durante o período de vacinação.

 

Fonte: Ministério da Sáude 

 

Com informações de João Henrique do Vale e da Prefeitura de Belo Horizonte

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade