Publicidade

Estado de Minas

Onça-pintada que invadiu Jardim Botânico da UFJF será capturada

Animal foi visto circulando, em frente a um hotel na Avenida Brasil, ao lado da Rodoviária


postado em 02/05/2019 19:35 / atualizado em 02/05/2019 20:03

Câmeras de vigilância registram o animal em hotel na Avenida Brasil(foto: UFRJ/ Divulgação )
Câmeras de vigilância registram o animal em hotel na Avenida Brasil (foto: UFRJ/ Divulgação )
Foi decidida pela captura da onça-pintada (Panthera onca) que invadiu o Jardim Botânico e Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Juiz de Fora, na Região da Zona da Mata. O animal vai ser capturado e translocado para área adequada à existência do felino. Na última sexta-feira, a estrutura foi interditada para garantir a segurança do animal, que está em extinção, e da população que frequenta o local.

Um dos símbolos da fauna brasileira, a onça-pintada (Panthera onca) é o maior felino das Américas. Pelo menos há 80 anos não há registro do animal na Zona da Mata Mineira, segundo estimativa inicial do professor do Departamento de Zoologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFJF, Artur Andriolo. A onça caminhou ao redor da sede Administrativa, localizada a cerca de 300 metros da entrada de visitantes.

De hábito solitário, carnívoro e predominantemente crepuscular e noturno, a onça-pintada originalmente podia ser encontrado do Sul dos Estados Unidos ao Norte da Argentina(foto: Reprodução/Pixabay)
De hábito solitário, carnívoro e predominantemente crepuscular e noturno, a onça-pintada originalmente podia ser encontrado do Sul dos Estados Unidos ao Norte da Argentina (foto: Reprodução/Pixabay)
Demorou uma semana para que uma decisão definitiva fosse tomada.  “Para que esta história tenha um desfecho muito positivo, ainda hoje, equipe do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap) saiu às 10h, de Atibaia (SP), com equipamentos necessários para iniciar o processo de captura. Isso para que o animal possa ser translocado para uma área florestal ampla, onde possa ficar livre, seguro e monitorado com colar. Ele terá acompanhamento técnico para continuar vivendo. Não é em cativeiro”, explicou a pró-reitora de UFJF, Ana Lívia Coimbra.

O reitor da UFJF, Marcus David, recebeu o secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais, Germano Vieira. No encontro o secretário declarou apoio às atividades desenvolvidas em prol da salvaguarda da onça-pintada e de proteção de moradores.

“É muito importante neste momento termos o apoio da Secretaria e sabermos dessa preocupação”, disse o reitor.

Com informações da Universidade Federal de Juiz de Fora


Publicidade