Publicidade

Estado de Minas

Suspeitos de série de assaltos matam comerciante na Região Norte de BH

A vítima foi atingida por dois tiros dentro da mercearia onde trabalhava no Bairro Tupi B. Criminosos são suspeitos de cometerem outros dois assaltos na região momentos antes do latrocínio - roubo seguido de morte


postado em 01/05/2019 18:55

Vítima trabalhava no comércio da família há 12 anos(foto: Reprodução/Google Street View)
Vítima trabalhava no comércio da família há 12 anos (foto: Reprodução/Google Street View)

Imagens de câmeras de segurança serão usadas para tentar identificar criminosos que mataram um comerciante na tarde desta quarta-feira na Região Norte de Belo Horizonte. A vítima foi atingida por dois tiros dentro da mercearia onde trabalhava no Bairro Tupi B. Ele chegou a ser socorrido para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Os bandidos são suspeitos de terem cometidos outros dois assaltos no bairro momentos antes do latrocínio – roubo seguido de morte.

Matheus Henrique Peterson da Silva, de 29 anos, segundo a mãe dele, trabalhava na mercearia da família há 12 anos. Nesta quarta-feira, testemunhas afirmaram que três homens chegaram em um Gol branco e atiraram na vítima. Matheus foi atingido por um tiro na mão esquerda e outro no peito. Os criminosos fugiram em seguida levando a carteira dele.

Quando os policiais militares chegaram na mercearia, localizada na Rua José Condé, esquina com Rua Joaquim Gonçalves, no Bairro Tupi B, a vítima estava caína na porta do estabelecimento comercial cercada por moradores. Ele foi colocado na viatura e encaminhado para o Hospital Risoleta Neves, em Venda Nova. Porém, morreu ao dar entrada na unidade de saúde.

A mãe do jovem afirmou que estava em casa, que fica próximo ao local, quando ouviu os ruídos dos tiros. Informou que o filho não tinha nenhum desafeto e não sofria ameaças. Contou, ainda, que ele era responsável na hora do homicídio pelo estabelecimento da família, onde trabalhava há 12 anos. O primo de Matheus afirmou que o comércio é alvo frequente de assaltos.

Próximo ao horário do latrocínio, a PM recebeu dois chamados em ruas próximas de assaltos. Vítimas contaram que os suspeitos tinham características semelhantes. Em um dos roubos, em um salão de belezas, o crime foi flagrado por câmeras de segurança. Os criminosos utilizaram um Gol branco idêntico ao usado na morte de Matheus. As imagens foram entregues para a Polícia Civil.

Buscas foram feitas na região, mas nenhum dos suspeitos foi encontrado. O caso foi encerrado na Central de Flagrantes da Polícia Civil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade