Publicidade

Estado de Minas

Kalil pede à população para 'tomar conta do vizinho' para combater a dengue em BH

Prefeito de Belo Horizonte afirmou que, caso seja preciso, vai abrir postos de saúde todos os fins de semana na capital mineira para atender os moradores doentes


postado em 15/04/2019 15:47 / atualizado em 15/04/2019 17:36

(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

Os casos de dengue se multiplicam em Belo Horizonte a cada semana. A capital mineira enfrenta uma epidemia da doença. Já são mais de 13,7 mil notificações neste ano, uma média de 135 por dia.  O Prefeito Alexandre Kalil (PHS) afirmou, nesta segunda-feira, que, caso necessário, vai abrir postos de saúde nos fins de semana para atender os moradores infectados com a enfermidade. Também pediu ajuda à população para 'tomar conta do vizinho' e evitar os focos do mosquito Aedes aegypti. A tecnologia pode ajudar a eliminar o inseto. O Ministério da Saúde divulgou que Belo Horizonte terá etapa final do método “Wolbachia”, medida que reduz a capacidade de transmissão dos vírus zika, Chikungunya e febre amarela.

No último fim de semana, postos de saúde de Belo Horizonte ficaram abertos para ajudar a desafogar as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da cidade, que tiveram aumento de 40% da demanda devido aos casos de dengue e de doenças respiratórias. O prefeito Alexandre Kalil afirmou que a medida poderá se repetir ao longo deste ano.

“Olha, epidemia que depende do povo, depende da população. O que depender da Prefeitura, se precisar abrir os postos todo final de semana, todos os postos, nós vamos fazer. Mas um apelo que a gente faz para todo mundo é tomar conta do vizinho, porque aí nós podemos ter um combate mais efetivo dessa praga que todo ano assola o país”, disse o prefeito.

Devido ao aumento no número de casos, três postos de saúde ficaram abertos no último sábado para receber a população com suspeita da doença. As unidades ficam nos bairros Concórdia (Panema, 275), na Região Nordeste, Santa Terezinha (Rua Senador Virgílio Távola, 157), na Região da Pampulha, e Tirol (Avenida Nilo Cerqueira, 15), no Barreiro.  

Tecnologia


O Ministério da Saúde divulgou nesta segunda-feira a nova fase do projeto World Mosquito Program Brasil (WMPBrasil) da Fiocruz. Três cidades vão receber o método “Wolbachia”, entre elas Belo Horizonte. Também terão a ação Campo Grande e Petrolina. Serão destinados R$ 22 milhões. Segundo a pasta, a ação consiste na liberação do Aedes com o microrganismo Wolbachia na natureza, reduzindo sua capacidade de transmissão de doenças.


Publicidade