Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende quadrilha que assaltava residências em BH; líder atirou em porteiro na Raja Gabaglia

Investigações começaram a partir de um roubo no Bairro Buritis e grupo foi monitorado até a prisão de quatro de seus membros. Outros três criminosos ainda são investigados por relação com a quadrilha


postado em 10/04/2019 12:04 / atualizado em 10/04/2019 20:20

Criminosos foram apresentados pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira. Respeitando decisão da Justiça, corporação informou que apresentação pode ajudar a investigação a encontrar mais vítimas do grupo(foto: Guilherme Paranaíba/EM/DA Press)
Criminosos foram apresentados pela Polícia Civil na manhã desta quarta-feira. Respeitando decisão da Justiça, corporação informou que apresentação pode ajudar a investigação a encontrar mais vítimas do grupo (foto: Guilherme Paranaíba/EM/DA Press)

A Polícia Civil prendeu quatro integrantes de um dos grupos mais atuantes no roubo de residências em Belo Horizonte. De dois meses para cá, os bandidos são apontados como autores de pelo menos cinco assaltos nos bairros Buritis, São Luiz, Planalto e Heliópolis.

O homem apontado como principal articulador dos assaltos é Anderson Teixeira Alves, de 34 anos, que ficou conhecido em Belo Horizonte depois de atirar no ombro de um porteiro de um prédio que fica na Avenida Raja Gabaglia, no Bairro Luxemburgo, Centro-Sul de BH, no ano passado. O que mais chama a atenção é que ele foi preso em dezembro do ano passado pela tentativa de homicídio contra o porteiro, mas, de acordo com a Polícia Civil, obteve um benefício da Justiça em que passava a semana na rua e ficava acautelado apenas aos fins de semana. 

Relembre o caso do porteiro baleado na Raja Gabaglia clicando aqui e veja o vídeo abaixo que mostra o momento do tiro



Segundo o delegado Gustavo Barletta, do Departamento Estadual de Investigações de Crimes contra o Patrimônio (Depatri), a 2ª Delegacia de Furtos e Roubos do Depatri entrou na investigação desse grupo a partir do momento em que um assalto foi registrado no Bairro Buritis, quando os bandidos entraram na casa de um homem e lá renderam seus dois filhos jovens e o pai dele. Foram levadas televisões, laptop, e 5 mil euros em dinheiro.

O carro conduzido pelos bandidos na ocasião também foi usado em um segundo assalto no Bairro São Luiz, na Região da Pampulha, em que duas senhoras, sendo uma a dona da casa de mais de 80 anos e uma funcionária, foram rendidas e a responsável pela residência teve R$ 800 mil em joias roubados.
Anderson é flagrado em ação por câmeras de segurança em um dos roubos que é investigado(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Anderson é flagrado em ação por câmeras de segurança em um dos roubos que é investigado (foto: Polícia Civil/Divulgação)


Com base nas informações levantadas desses dois casos, a Polícia Civil começou a preparar uma operação para desmanchar o grupo, que também é investigado por outros casos. Em um terceiro crime, praticado no Bairro Planalto, Norte de BH, um dos assaltantes esqueceu o celular no local, o que levou a polícia até ele. Trata-se de Bruno Simões Gonçalves de Souza, o Bizoca.

Um quarto crime chegou a ser abortado no Bairro Heliópolis, Também na Região Norte, quando o grupo entrou na casa de um policial militar e levou apenas a arma dele, desistindo de fazer a limpa na residência. Mais um crime é imputado ao grupo no Bairro Buritis.

A operação desencadeada para prender os outros três membros da quadrilha teve início na última segunda-feira, quando ocorreu um assalto no Bairro Belvedere, Centro-Sul da capital mineira. Dois homens que participaram desse crime já eram monitorados dentro de outra investigação, da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, vinculada ao Departamento Estadual de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG). Eles foram presos em Santa Luzia, mas Anderson Teixeira, o Pica-Pau, que também estava no assalto fugiu.

Veja o momento em que Anderson Teixeira Alves, o Pica-Pau, abre porta de casa no Belvedere para assaltar



Aí entraram em cena os policiais do Depatri, que como já estavam monitorando Anderson, iniciaram uma campana e conseguiram pegá-lo em um hotel de Ouro Preto. Na volta para BH, os agentes da Polícia Civil cumpriram os mandados de prisão contra os outros dois presos, Ronald Guimarães Vilar, 28 anos, vulgo Japão, e Cleiton Kuiz Coura Ribeiro, apontado como o receptador dos itens roubados, principalmente eletrônicos.

O delegado Gustavo Barletta disse que o grupo é conhecido por aterrorizar as vítimas, amarrando os moradores das casas e ameaçando a todo momento de arma em punho. Uma vasta quantidade de material foi apreendido, entre eletrônicos, joias, perfumes e outros itens. Os investigadores estimam que, ao todo, a quadrilha roubou R$ 1 milhão. As investigações continuam em busca de outros envolvidos com a quadrilha.

Veja o momento em que os presos chegam ao Depatri



Publicidade