Publicidade

Estado de Minas

Avenida que liga Brumadinho a Córrego do Feijão será totalmente liberada hoje

Via foi destruída pelos rejeitos da barragem da Vale que se rompeu em janeiro. Desde 2 de abril, trânsito fluía apenas no esquema de siga e pare


postado em 10/04/2019 10:02 / atualizado em 10/04/2019 11:21

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 26/02/2019)
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 26/02/2019)


A Defesa Civil de Minas Gerais anunciou que no fim desta quarta-feira será totalmente liberado o trânsito na estrada de Alberto Flores, que liga Brumadinho, na Região Central de Minas, a Córrego do Feijão e outros distritos. A via precisou ser fechada em janeiro por causa do rompimento da barragem da Vale. Foi preciso construir uma ponte no local.

Desde 2 de abril, o fluxo de veículos foi liberado no esquema de siga e pare. Segundo o major Carlos Eduardo Lopes, superintendente de Gestão de Desastres da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, foram mais de 30 dias de trabalho na rodovia. Após a liberação, eles devem trabalhar na revegetação da encosta da ponte e outras estruturas, mas nada que prejudique o deslocamento.  

“Aqui será permitido o fluxo de caminhões e veículos, logicamente os mais pesados, com esteira serão evitados. O limite aqui é 45 toneladas, de forma a atender os carros de passeio, os ônibus escolares, os caminhões que fazem serviço de utilidade pública para os municípios”, explicou o major. 

A ponte liga o centro de Brumadinho a Córrego do Feijão, Parque da Cachoeira, Melo Franco, Marques, Aranha, Palhano, Córrego Ferreira, Casa Branca e outras áreas. 

Entre os últimos ajustes para a liberação total do trânsito está a limpeza da via e a sinalização com pintura de faixas e instalação de placas. 

Nesta quarta, a Vale, por meio de nota, explicou que a ponte tem 50 metros de vão e foi construída em estrutura mista – concreto e aço. O passeio para pedestres será liberado até o fim do mês. 

No início do mês, a Vale anunciou que estava próxima da conclusão a cortina de estacas-prancha perto da ponte da Avenida Alberto Flores. A instalação vai ajudar a conter os rejeitos, proteger o acesso e possibilitar a criação de uma estação para tratar a água do Córrego Ferro Carvão e devolvê-la limpa ao Rio Paraopeba, atingido pela lama. 

A via foi destruída pelos rejeitos da barragem de Córrego do Feijão em 25 de janeiro. Trinta e um dias depois, o acesso chegou a ser liberado, mas poucas horas depois uma forte enxurrada passou por cima de uma ponte provisória instalada no local, voltando a impedir a passagem de veículos. Desde então, a via permanecia fechada. 


Publicidade