Publicidade

Estado de Minas

Membros da Galoucura que espancaram cruzeirense participam de audiência em BH

O confronto entre os torcedores das organizadas do Atlético e do Cruzeiro aconteceu em março do ano passado antes da final do Campeonato Mineiro


postado em 09/04/2019 13:54 / atualizado em 09/04/2019 17:28

O confronto aconteceu em 4 de março no Bairro Prado, na Região Oeste(foto: Reprodução)
O confronto aconteceu em 4 de março no Bairro Prado, na Região Oeste (foto: Reprodução)

Integrantes da Torcida Organizada Galoucura envolvidos no espancamento de um torcedor da Máfia Azul, horas antes da final do Campeonato Mineiro de 2018, participam de uma audiência no 1º Tribunal do Júri de Belo Horizonte, no Fórum Lafayette, na tarde desta terça-feira. O confronto entre as duas agremiações aconteceu no Bairro Prado, na Região Oeste da capital mineira, e foi flagrada por câmeras de segurança de residências. C.S.V desmaiou durante a briga e mesmo assim continuou sendo espancado.



Respondem pelo crime cinco integrantes da Galoucura. Eles são acusados por tentativa de homicídio. Segundo a assessoria de imprensa do Fórum Lafayette, dois deles estão presos e outros três estão foragidos. O juiz sumariante do 1º Tribunal do Júri, Marcelo Rodrigues Fioravante deve interrogar os acusados e ouvir outras 17 testemunhas. Ao fim desta etapa, o magistrado vai decidir se os acusados serão julgados ou não por um júri popular.

O crime aconteceu em 4 de março do ano passado, horas antes do jogo entre Atlético e Cruzeiro. Os grupos de torcedores rivais se encontraram na Avenida Francisco Sá, no Bairro Prado, onde iniciaram o confronto. Eles se enfrentaram com rojões, paus e pedras. Enquanto militares continham um tumulto na via, houve a informação de que na Rua Cura D'ars havia outra briga, onde um cruzeirense foi espancado por atleticanos.

No local, os policiais encontraram um jovem com camisa de uma organizada do Cruzeiro desmaiado. Equipe do Serviço Móvel de Urgência (Samu) o levou para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Depois de receber atendimento médico na unidade hospitalar, ele ficou em observação.

Depois de checar imagens de câmeras de segurança no local dos confrontos, foi constatado que o rapaz ferido também participava dos ataques aos rivais, com um pedaço de pau. Ele, além de vítima, foi registrado no boletim de ocorrência da PM também como autor das agressões, junto com os outros 18 envolvidos.


Publicidade