Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Iphan autoriza restauro de joias do patrimônio em cidade mineira

Pontes de pedra e de ferro do século 19, que representam alguns dos cartões-postais de São João del-Rei, serão recuperadas, mas prefeitura ainda não tem solução para tráfego


postado em 27/03/2019 21:55 / atualizado em 27/03/2019 21:59

Ponte da Cadeia é uma das estruturas que vão passar por intervenções. Desafio é encontrar alternativas para o trânsito intenso de veículos e pedestres(foto: ORLANDO PAIVA BARROS/PREFEITURA DE SAO JOAO DEL-REI/DIVULGACAO )
Ponte da Cadeia é uma das estruturas que vão passar por intervenções. Desafio é encontrar alternativas para o trânsito intenso de veículos e pedestres (foto: ORLANDO PAIVA BARROS/PREFEITURA DE SAO JOAO DEL-REI/DIVULGACAO )
Pontes entre o passado e o presente para contar mais sobre a história e manter viva a preservação do patrimônio de São João del-Rei, no Campo das Vertentes. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) deu o sinal verde para a restauração de quatro estruturas – duas em pedra, erguidas com uso de óleo de baleia, e duas em ferro – construídas no século 19 sobre o Córrego do Lenheiro, cartão-postal do município. Com recursos de R$ 2 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas, do governo federal, os monumentos vão receber os serviços ainda neste ano.

Na terça-feira, o prefeito Nivaldo Andrade esteve na sede do Iphan, em Belo Horizonte, e recebeu da superintendente da autarquia federal em Minas, Célia Corsino, aval para a licitação. Também presente à reunião, o secretário municipal de Cultura e Turismo, Marcus Frois, conta que a obra demandará de quatro a seis meses. “O projeto de restauro foi feito por uma empresa contratada pela prefeitura e agora vamos fazer o de execução para a licitação. A fim de agilizar a intervenção, serão escolhidas duas empresas que vão contemplar as pontes de pedra (Cadeira e Rosário) tombadas pelo Iphan, e as de ferro, que ficam em frente do Teatro Municipal e da estação ferroviária.”

Com trânsito de veículos, embora não de ônibus, as pontes de pedra poderão ficar fechadas durante as obras, informa Frois, adiantando que a prefeitura ainda não criou alternativas para motoristas e pedestres no período de restauro. “Nenhuma delas tem problema estrutural. A que demanda mais cuidado é a de ferro localizada em frente a estação ferroviária.”


Iluminação

(foto: ORLANDO PAIVA BARROS/PREFEITURA DE SAO JOAO DEL-REI/DIVULGACAO )
(foto: ORLANDO PAIVA BARROS/PREFEITURA DE SAO JOAO DEL-REI/DIVULGACAO )

O projeto de restauro das quatro pontes no Centro Histórico de São João del-Rei começou a ser pensado há seis anos, mas pouco avançou, esbarrando, principalmente, no grande volume de documentação necessária, diz o secretário. O dinheiro a ser disponibilizado pelo governo federal é suficiente para a intervenção, sem necessidade de contrapartida do município. Para dar mais destaque ao conjunto de quatro pontes, está em pauta também um projeto luminotécnico que valorizaria as linhas arquitetônicas.

“Temos, assim, o resgate de um conjunto histórico muito importante, que só valoriza nossa cidade. Portanto, ao longo das obras, teremos um programa de educação patrimonial envolvendo as escolas municipais. O objetivo é tirar os estudantes da sala de aula em um dia e levá-los para conhecer as pontes”, explica Frois,

Despoluição 

Em nota, a Prefeitura de São João del-Rei informa que o Córrego do Lenheiro está em processo de despoluição e as obras de saneamento (esgoto sanitário) já chegaram ao Centro da cidade. Os recursos são do governo federal, da ordem de R$ 42 milhões, com contrapartida do município de R$ 6 milhões. O término do serviço está previsto para o fim de 2020. Assessores acrescentam que se trata da “maior obra pública realizada no município nos últimos 100 anos”. O arquiteto da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, José Luís Baccarimi Neto, destaca importância das pontes, pois ligam os dois lados do Centro Histórico, com acesso ao comércio, sedes do Executivo e do Legislativo, secretarias e equipamentos culturais.


Ligação entre dois tempos

As estruturas do século 19 ligam os dois lados do Centro Histórico de São João del-Rei.


1) Rosário – De um lado está a Igreja do Rosário, do outro o Memorial Tancredo Neves e a Igreja de São Francisco. Tombada pelo Iphan e construída em pedra, com arcos, é aberta ao trânsito de veículos


2) Cadeia – Também de pedra, tem esse nome devido ao antigo prédio que hoje é ocupado pela sede da prefeitura. É aberta ao trânsito e é acesso importante à área de comércio. Tombada pelo Iphan


3) Ponte da Estação Ferroviária – Arquitetura bem característica da época de construção da estação ferroviária. É usada apenas para pedestres, com uma camada de cimento por cima


4) Ponte do Teatro – Também destinada apenas a pedestres, a estrutura é muito usada, pois leva ao comércio e ao Teatro Municipal


Publicidade