Publicidade

Estado de Minas

Na Campanha da Fraternidade, dom Walmor pede que comunidade priorize os mais pobres

Com o tema Fraternidade e Políticas Públicas, a campanha foi lançada na capital durante missa da quarta-feira de cinzas no Bairro Lagoinha


postado em 06/03/2019 13:02 / atualizado em 06/03/2019 13:21

(foto: Arquidiocese de Belo Horizonte/Divulgação)
(foto: Arquidiocese de Belo Horizonte/Divulgação)


“Serás libertado pelo direito e pela justiça”, versículo 27 do livro de Isaías, é o lema da Campanha da Fraternidade 2019, lançado nesta quarta-feira de cinzas em uma missa celebrada pelo Arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo. A cerimônia foi realizada no Santuário Arquidiocesano Nossa Senhora da Conceição dos Pobres, no Bairro Lagoinha, Região Noroeste da capital. 

“Fraternidade e políticas públicas (tema da campanha) somos nós procurando, a partir da fé, iluminar o caminho da nossa sociedade. Esse é o nosso grande compromisso. Não fazemos como partido político, como ongs, mas fazemos como igreja, iluminando o Evangelho de Jesus no caminho da vida”, disse o arcebispo nesta manhã. “Para que possamos, sobretudo, priorizar os mais pobres, os sofredores. Políticas públicas somos nós procurando, como cidadãos e cidadãs, cumprir a tarefa de uma sociedade mais justa, fraterna e solidária”. 

De acordo com a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Igreja pretende “estimular a participação dos cristãos em políticas públicas, à luz da palavra de Deus e da doutrina social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais da fraternidade”. O texto-base da campanha descreve, entre outros tópicos, o ciclo e etapas de uma política pública e faz a distinção entre as políticas de governo e as políticas de estado, bem como apresenta os canais de participação social, como os conselhos previstos na Constituição Federal de 1988.

(foto: Arquidiocese de Belo Horizonte/Divulgação)
(foto: Arquidiocese de Belo Horizonte/Divulgação)


Hoje é celebra da a quarta-feira de cinzas, que marca o início da Quaresma, período de reflexão que lembra a morte e ressurreição de Cristo, segundo a fé católica. Dom Walmor explica que é um momento de renovação. “A quarta-feira de cinzas somos nós convidados à conversão, colocando sobre nós as cinzas para reconhecermos que somos pecadores, que humanamente somos necessitados da graça de Deus e que, portanto, precisamos de renovação espiritual, qualificando nossa condição humana para darmos conta da nossa tarefa de construir um mundo melhor enquanto caminhamos”, detalhou. 

Às 15h, dom Walmor preside missa com imposição de cinzas no Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade. Lá, as celebrações vão ocorrer às 9h, 11h e 15h na Ermida da Padroeira. Na Tenda Cristo Rei, haverá também celebração com imposição de cinzas às 15h30. Veja a programação completa da quarta-feira de cinzas no site da Arquidiocese de Belo Horizonte. 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade