Publicidade

Estado de Minas

Acesso a Brumadinho fechado por mar de lama deve ser reaberto nos próximos dias

A ponte que liga ao menos 40 comunidades a Brumadinho está fechada desde o rompimento da barragem. Acesso alternativo será criado ao lado da estrutura


postado em 25/02/2019 18:56 / atualizado em 25/02/2019 19:18

Ponte estava prevista para primeiro de março(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Ponte estava prevista para primeiro de março (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Brumadinho - A ponte que vai restabelecer o trânsito de comunidades até o acesso de Brumadinho, na Grande BH, continua sem previsão de liberação. O principal dificultador foram as chuvas dos últimos dias. Porém, um acesso alternativo, na lateral de onde a ponte está sendo construída, pode ser liberada ainda nesta semana. O local deve atender 40 distritos da cidade e reduzirá cerca de uma hora no deslocamento para o Centro. Atualmente, o caminho mais curto feito pelos moradores é por dentro de uma das minas da Vale. 

Técnicos da mineradora trabalham no local, próximo aos distritos de Alberto Flores e Parque da Cachoeira. A área foi tomada pelo mar de lama provocado pelo rompimento da barragem da Vale do último dia 25. “Trata-se da lateral direita da própria rodovia onde está sendo construída a ponte. Como ela não ficará pronta até 1º de março, a empresa fez o acesso pela lateral direita. Mas não achamos procedente liberar na data de hoje”, informou capitão Júnior Alves, diretor de respostas a desastres da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil de Minas Gerais.

Segundo ele, ainda falta sinalização, iluminação. Além disso, a Defesa Civil exigiu a retirada de caminhões e materiais que atrapalham o acesso. A data da liberação total da via ainda não foi definida, mas uma nova vistoria no local está prevista para esta terça-feira, às 14h. 

“Entre a liberação e o conforto e a segurança, temos que prezar pela segurança. Acreditamos que amanhã (terça-feira), a partir das 14h, possamos dar esse conforto e ao mesmo tempo considerar os requisitos de segurança necessários.”

FGTS| A coordenadoria de Defesa Civil de Minas Gerais encaminhou à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), subordinada ao Ministério do Desenvolvimento Regional, o processo de estado de calamidade pública em Brumadinho. A medida é necessária para que a Caixa Econômica Federal libere o FGTS para as pessoas que tiveram suas propriedades afetadas pela tsunami de rejeitos.

Números| Ao todo, 179 mortos foram confirmados e identificados e 131 seguem desaparecidos. Além disso, 175 tiveram que sair de suas residências. A Defesa Civil informou que já foram feitas 209 vistorias em casas afetadas, sendo 103 laudos emitidos pelo órgão municipal. Oitenta casas ainda estão pendentes para futuras vistorias.

* Estagiário sob supervisão da subeditra Ellen Crisitie




Publicidade