Publicidade

Estado de Minas

Estudante de direito que distribuiu pornografia infantil na internet é condenado

Rapaz distribuiu 152 arquivos e armazenou outros 197 contendo cenas de abuso sexual de crianças e adolescentes


postado em 13/02/2019 16:56 / atualizado em 13/02/2019 17:53

No computador do estudante foram encontrados 197 arquivos pornográficos(foto: Pixnio)
No computador do estudante foram encontrados 197 arquivos pornográficos (foto: Pixnio)
Um estudante de direito, de 24 anos, foi condenado a oito anos e seis meses de prisão após ser preso por postar imagens com conteúdo pornográfico infantojuvenil e distribuir arquivos de vídeo contendo cenas de abuso sexual de crianças e adolescentes.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), o estudante E.R.R. morava no Bairro Prado, Região Oeste de Belo Horizonte. Ele havia compartilhado 152 arquivos de material pornográfico infantojuvenil. Em seu computador, foram encontrados ainda 193 imagens e quatro vídeos armazenados.  

O estudante também se fazia passar por um adolescente de 14 anos. Os policiais encontraram e-mails criados em diferentes provedores que ele utilizava para encaminhar arquivos contendo o material pornográfico, outras com conteúdo em que ele dava conselhos sobre sexualidade juvenil, indicando que as mensagens eram trocadas com adolescentes. 
 
A Polícia Federal descobriu os crimes durante monitoramento, após o rapaz acessar sites estrangeiros, especialmente um endereço eletrônico hospedado na Rússia, cujo monitoramento pelos investigadores indicou tratar-se de uma espécie de “ponto de encontro” de pedófilos do mundo todo. 

Os usuários produziam e armazenavam fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até mesmo de bebês com poucos meses de vida, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos e os enviavam para contatos no Brasil e no exterior.

O estudante foi condenado a oito anos e seis meses de prisão em regime semiaberto. O Ministério Público Federal recorreu da sentença, pedindo o aumento das penas.
 

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade