Publicidade

Estado de Minas

Bombeiros encontram três corpos em vestiário da Vale atingido por lama em Brumadinho

De acordo com tenente Pedro Aihara, porta-voz da corporação, há a possibilidade de mais vítimas serem encontrados em meio a estrutura. Buscas foram reforçadas na área


postado em 04/02/2019 14:03 / atualizado em 04/02/2019 14:39

Equipes se concentram na área onde está localizado o vestiário(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press.)
Equipes se concentram na área onde está localizado o vestiário (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press.)

Um dos pontos prioritários das buscas do Corpo de Bombeiros em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, está sendo no vestiário localizado na áreas administrativa da Vale. Os militares já conseguiram entrar na estrutura, que foi parcialmente atingida pelo mar de lama que desceu da barragem que se rompeu na Mina Córrego do Feijão. Três corpos foram resgatados. A corporação acredita que mais vítimas serão encontradas.

Veja quem são as vítimas da tragédia de Brumadinho

A estrutura foi encontrada no último sábado. Os militares já conseguiram ter acesso ao local. “Em relação ao vestiário, tivemos um avanço importante no nosso acesso. Já tiramos três corpos que pertencem a pessoas que estavam no vestiário”, explicou o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros.

Segundo ele, há a possibilidade de mais vítimas serem encontradas no vestiário. Por causa disso, um grande efetivo de militares trabalha na região nesta segunda-feira. Pela questão do avanço da lama, na estrutura do vestiário nós tivemos o colapso da estrutura, mas parcial. Isso é importante, porque ocorre uma situação que a gente chama na doutrina, que é de espaços vitais isolados, que são locais que não foram invadidos pela lama, e estão de certa forma protegidos pela estrutura do vestiário. Então, nós já começamos a fazer o acesso, já tiramos três vítimas. A possibilidade de encontrar mais vítimas em um estado que facilite a identificação desses corpos pela Polícia Civil, em um melhor estado de conservação, é muito provável”, comentou.

Durante a madrugada choveu forte em Brumadinho e as buscas tiveram que ser suspensas por questões de segurança. Quando a chuva deu trégua, uma das aeronaves do Corpo de Bombeiros chegou a sobrevoar a região para localizar pontos seguros para as buscas, mas rapidamente voltou a chover.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros, quando a chuva parou, no fim da manhã, as buscas retornaram na área quente. “Quando acontece essa chuva há uma acomodação desse rejeito. Conforme previsto, que a chuva duraria até o final da manhã, essa previsão se cumpriu e nós já estamos mandando efetivo novamente na área quente”, afirmou.

No início da tarde, o tenente-coronel Anderson Passos, do Corpo de Bombeiros, informou que por volta da 13h30 já havia condições de voo. Com isso, as aeronaves também voltaram a atuar.“Vamos retomar as buscas gerenciando o risco, exceto num ponto à direita da barragem rompida, que oferece menor segurança”, informou.

Números da tragédia


Chega a 134 o número de mortes confirmadas no rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, conforme a última atualização da Defesa Civil, divulgada no início da tarde desta segunda-feira em entrevista coletiva. Destas vítimas, 120 foram identificadas. Outras 199 pessoas seguem desaparecidas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade