Publicidade

Estado de Minas

Por segurança, buscas por vítimas em Brumadinho serão interrompidas às 20h

Objetivo é avançar no bombeamento de água da barragem B6 para evitar que ela se rompa. Os trabalhos serão retomados na madrugada de domingo


postado em 26/01/2019 19:11

Trabalhos dos bombeiros e socorristas serão retomados às 4h de domingo(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
Trabalhos dos bombeiros e socorristas serão retomados às 4h de domingo (foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)


O Corpo de Bombeiros anunciou, neste sábado, que vai interromper temporariamente as buscas por vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Trata-se de uma medida de segurança, segundo a corporação. Os trabalhos serão retomados no domingo. 

“Para possibilitar o bombeamento de água em uma vazão maior para esvaziar a barragem B6 para garantir maior segurança a operação, as buscas serão interrompidas às 20hs e retornarão a partir de 4h”, informou o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros. A ação de drenagem é para evitar que a barragem se rompa. 

O rompimento da barragem B1 ocorreu no início da tarde de sexta-feira, na Mina Córrego do Feijão. A quantidade de rejeito acumulado na estrutura fez com que uma outra barragem transbordasse. A lama atingiu uma área administrativa da companhia e parte da comunidade de Vila Ferteco. A barragem estava há mais de três anos inativa, sem receber resíduos. A última auditoria, datada de 10 de janeiro, não apontou nenhuma irregularidade, segundo a mineradora. A Vale ainda não sabe o que motivou o rompimento.

Ver galeria . 26 Fotos  Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão)Gladyston Rodrigues/EM/D.A press
Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão) (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A press )


O Corpo de Bombeiros confirmou, na tarde deste sábado, a morte de 34 pessoas no rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os números foram divulgados pela assessoria da corporação por volta das 17h30. Ainda segundo a corporação, 81 pessoas estão desabrigadas. Até o início da tarde, os bombeiros confirmavam 11 mortes. Com esta atualização, o número de perdas humanas no desastre em Brumadinho já que maior que o do rompimento da barragem do Fundão, em Mariana. Na cidade da Região Central, 19 pessoas morreram em 5 de novembro de 2015. Uma das vítimas nunca foi encontrada.

Até o momento, apenas uma das vítimas foi identificada oficialmente. A médica Marcelle Porto Cangussu, de 35 anos,  obteve seu título de especialista em Medicina do Trabalho em 2015 e se dedicava à carreira na Vale. 

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)


Publicidade