Publicidade

Estado de Minas

Número de mortos em Brumadinho chega a 11; Minas entra em calamidade pública

Informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros nesta tarde. União aceitou pedido para que seja decretada calamidade em Minas. Há 296 desaparecidos


postado em 26/01/2019 15:31 / atualizado em 26/01/2019 17:32

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)


O Corpo de Bombeiros confirmou, às 15h26 deste sábado, que o número de mortes já chega a 11 após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

O governo federal aceitou o pedido para que seja decretado estado de calamidade pública em Minas Gerais. A informação foi confirmada há pouco pela Globonews. A decisão facilita a liberação e mobilização de recursos para dar continuidade aos trabalhos de resgate na região.

Ver galeria . 26 Fotos  Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão)Gladyston Rodrigues/EM/D.A press
Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão) (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A press )


Ainda segundo os Bombeiros, já foram localizados mais corpos, cujo resgate começou a ser preparado. A corporação, entretanto, não quis confirmar quantos foram encontrados. Conforme dados do local, 166 funcionários da Vale e 130 terceirizados estão desaparecidos. Das 176 pessoas encontradas com vida, 23 estão hospitalizadas.

(foto: Renan Damasceno/EM/DA Press)
(foto: Renan Damasceno/EM/DA Press)


Nesta tarde, choveu em Brumadinho, como previsto pela Defesa Civil nesta manhã, mas as buscas não foram interrompidas.

Cerca de 84 famílias ainda aguardam o resgate do Corpo de Bombeiros em Brumadinho, Minas Gerais. A informação é da corporação, que afirmou que estas famílias não correm nenhum risco.

Ver galeria . 34 Fotos Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão, da Mineiradora Vale, em Brumadinho, Grande BH Alexandre Guzanshe/EM/D.A press
Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão, da Mineiradora Vale, em Brumadinho, Grande BH (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A press )


A maior dificuldade é que eles estão sem luz e energia elétrica, por conta disso está sendo difícil fazer o contato. Às 14h30 o Corpo de Bombeiros subiu o número de mortes para dez. O número ainda deve aumentar. (Com informações da Agência Brasil)

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade