Publicidade

Estado de Minas

Horticultores que abasteciam a Grande BH lamentam tragédia: 'perdemos tudo'

Imensos campos de hortaliças, estufas e equipamentos: tudo virou lama de rejeitos. Maior parte da população vivia da agricultura


postado em 26/01/2019 13:19 / atualizado em 26/01/2019 13:25

(foto: Gabriel Ronan/EM/DA Press)
(foto: Gabriel Ronan/EM/DA Press)


Agricultores do vilarejo do Tijuco, devastado pela lama da Vale, vendiam hortaliças para sacolões de Belo Horizonte, Nova Lima, Contagem, Sarzedo e Betim

Imensos campos de hortaliças, estufas e equipamentos: tudo virou lama de rejeitos. "Perdemos tudo. Não dá nem para mensurar quanto foi. Está na casa dos milhões para os donos dos terrenos", conta, ao Estado de Minas, o agricultor Paulo Sérgio da Silva. Ele trabalhava no vilarejo do Tijuco, em Brumadinho, há 17 anos. Atualmente, ele vendia todo tipo de folhas: salsa, cebolinha, hortelã, coentro, brócolis, alface etc.

Segundo ele, a maioria da população local vivia exclusivamente da agricultura. Contudo, além de perder terreno e plantações, os equipamentos, como bombas hidráulicas, ficaram completamente destruídas depois do tsunami de rejeitos. "Aqui saía era caminhão cheio. Agora está desse jeito aí", lamentou Paulinho, como é conhecido na região, apontando para o latifúndio tomado pela lama. 

Ver galeria . 34 Fotos Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão, da Mineiradora Vale, em Brumadinho, Grande BH Alexandre Guzanshe/EM/D.A press
Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão, da Mineiradora Vale, em Brumadinho, Grande BH (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A press )


Dono de uma estufa local, Magno André Barbosa, de 39 anos, vive da agricultura desde 1996. "Eu vendia para Contagem, Betim e até para a Ceasa. Atualmente, eu só mexia com folhas. Mas agora perdi. Ficou até uma parte da horta, mas não tenho água, não tenho maquinário. Sobrou nada", se emocionou.

O momento da tragédia ambiental ficou marcado por muita correria para Magno. De acordo com o agricultor, a lama não chegou a sua casa, porém, quando recebeu de amigos a notícia do rompimento, correu para salvar um parente acamado. "O barulho foi só aumentando e aumentando. Mas consegui tirar o senhor de lá" disse.

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)


Ver galeria . 12 Fotos Grupo percorre área onde ficava pousada Nova Estância, que fica próxima à barragem da Vale e foi destruída com a passagem dos rejeitos de minérioMateus Parreiras/EM
Grupo percorre área onde ficava pousada Nova Estância, que fica próxima à barragem da Vale e foi destruída com a passagem dos rejeitos de minério (foto: Mateus Parreiras/EM )


Ver galeria . 26 Fotos  Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão)Gladyston Rodrigues/EM/D.A press
Tragédia de Brumadinho - Rompimento de rejeitos da Barragem 1 da Mina Feijão (Córrego Feijão) (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A press )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade