Publicidade

Estado de Minas

Igreja de 1690 é restaurada em Raposos

Moradores de Raposos, na Grande BH, comemoram o fim da reforma da Matriz Nossa Senhora da Conceição, uma das mais antigas de Minas. Especialistas acompanharam projeto das obras


postado em 28/12/2018 06:00 / atualizado em 28/12/2018 07:50

Em estilo barroco, o templo católico é tombado pelo Iphan desde 1938 e sofreu com ataques de cupins, mas após o restauro recuperou seu esplendor(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
Em estilo barroco, o templo católico é tombado pelo Iphan desde 1938 e sofreu com ataques de cupins, mas após o restauro recuperou seu esplendor (foto: Leandro Couri/EM/DA Press)


A missa de ano novo será ainda mais festiva para os moradores de Raposos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Depois de longo tempo esperando o fim do restauro da Matriz Nossa Senhora da Conceição, de 1690, os católicos e defensores do patrimônio cultural têm para comemorar a etapa final das obras. A festa de reinauguração está prevista para o mês que vem. “Estão faltando os serviços complementares, incluindo a iluminação externa”, informou, na tarde de ontem, o administrador paroquial, padre Eribaldo Pereira Santos.

Considerada uma das igrejas mais antigas de Minas, ao lado das matrizes de Sabará, também na Grande BH, e de Matias Cardoso, no Norte do estado, ambas dedicadas também a Nossa Senhora da Conceição, a matriz de Raposos estava em situação bem degradada, diz padre Eribaldo, há três anos na paróquia. “O pior mesmo era o ataque dos cupins. A comunidade está feliz da vida com a conclusão”, acrescenta o religioso, lembrando que o templo é tombado desde 1938 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), cujos especialistas acompanharam o desenvolvimento do projeto, a exemplo da coordenação e equipe do Memorial da Arquidiocese de Belo Horizonte.

De acordo com o administrador paroquial, não foi necessária desta vez a intervenção nos elementos artísticos, já que altares e imaginária passaram pelo restauro em 1997. “Os serviços, nessa etapa, começaram em 2014, com recursos da comunidade para recuperar toda a estrutura, cobertura, piso, forro e demais partes em situação lastimável. O trabalho só foi possível também graças a uma emenda parlamentar, que tirou a igreja do rol dos bens culturais ameaçados”, declarou.

“A festa de Nossa Senhora da Conceição, no dia 8, foi muito bonita. O povo daqui tem muita devoção com a padroeira. A fachada, por exemplo, azul e branca, mereceu uma pesquisa cuidadosa para recuperar os tons originais, já que ao longo dos anos houve várias camadas de tinta”, explica o padre. Segurança interna e externa se tornaram alvo de atenção especial, com sistema de câmeras modernas e outros equipamentos. Satisfeito, ele diz que “as manifestações culturais em Raposos são fortes, a exemplo da cavalhada. E os jovens têm participação, tanto que serão enviados seis à Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada em janeiro, no Panamá”, contou ainda o administrador paroquial.

O secretário municipal de Administração, Michel Leite de Abreu, destaca que a emenda parlamentar no valor de R$ 250 mil teve uma contrapartida da Prefeitura de Raposos, de R$ 15 mil. “O recurso foi viabilizado por meio de um convênio federal da prefeitura com o Ministério da Cultura”, explica Michel, informando que os servidores municipais trabalharam nos trâmites do processo, entre elas a licitação. 

(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
(foto: Leandro Couri/EM/DA Press)
REALIZAÇÃO A comunidade católica não se contém de satisfação. “Foram muitos anos esperando a obra terminar, nossa alegria é grande demais. Até pessoas evangélicas elogiam”, diz a empresária Eloísa Gonçalves, que mora perto da igreja. “Aqui do adro, temos uma vista panorâmica da cidade, todo mundo gosta de olhar. As cores valorizaram mais ainda a arquitetura da matriz que, de tão importante para a cidade, está na letra do nosso hino”, disse Eloísa.

Batizado na igreja, o engenheiro civil Glauco Gonçalves Dias, de 36, considera a matriz, além de um monumento histórico, o símbolo de Raposos, “tanto que está até na bandeira do município”. Ele lembra que, desde a capela primitiva, de 1690, “a construção virou uma referência na região”, afirmou, certo de que o restauro levanta a autoestima dos moradores.

Município banhado pelo Rio das Velhas, Raposos originou de um povoado onde havia uma capela de pau-a-pique – à medida que o lugar crescia, aumentava a construção. Com a ajuda da população, ela foi transformada em igreja, depois em paróquia e, por último, em matriz (de 1690 a 1724). Em estilo barroco, o templo passou por uma fase de abandono até ser reformado em 1954, que parte da beleza original. Agora, finalmente, o acervo pode ser admirado por completo não só pelos moradores, mas pelos visitantes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade