Publicidade

Estado de Minas

Polícia desarticula tráfico de drogas em BH e apreende 50 quilos de maconha

Traficante conhecido como Fabinho foi preso na residência que abrigava a droga; apreensão aconteceu no Bairro Cabana, Oeste da cidade


postado em 06/11/2018 21:17 / atualizado em 06/11/2018 21:22

Cerca de 50 quilos de maconha, armazenados em 106 sacos com 50 buchas cada, e mais 30 tabletes de um quilo foram apreendidos(foto: Reprodução/Polícia Civil)
Cerca de 50 quilos de maconha, armazenados em 106 sacos com 50 buchas cada, e mais 30 tabletes de um quilo foram apreendidos (foto: Reprodução/Polícia Civil)

 

A Polícia Civil prendeu Fábio Gonçalves da Silva, conhecido como Fabinho, nesta terça-feira (6). Ele é suspeito de chefiar o tráfico de drogas no “beco da gruta”, como era conhecida uma casa usada na preparação de drogas localizada no Bairro Cabana, na Região Oeste de Belo Horizonte.


Segundo a polícia, cerca de 50 quilos de maconha, armazenados em 106 sacos com 50 buchas cada, e mais 30 tabletes de um quilo foram apreendidos. Balanças de precisão, facão confeccionado especificamente para dividir a droga, além de saquinhos e sedas para a confecção do produto final também foram apreendidos.


De acordo com o delegado Gustavo Barletta, responsável pelas investigações, no mesmo lote ficam vários barracões. Segundo ele, foi possível observar diversos transeuntes que entravam com sacos de linhagem cheios e, posteriormente, um morador saía do local, possivelmente para fazer entregas no aglomerado. “Ao longo deste trabalho, pudemos observar vários pontos de mercancia de drogas, porém nossa principal intenção era a de descobrir onde eram estocados e manufaturados os entorpecentes ali vendidos”, explicou o delegado.


As investigações duraram cerca de dois meses e se intensificaram nessa segunda, quando um grande saco de linhagem de material indeterminado foi monitorado pela Polícia Civil, conforme a corporação. No dia seguinte, no mesmo local, os policiais encontraram o suspeito Fábio, que indicou o terraço da casa onde a droga foi encontrada.

 

A operação levou o nome de "Fast Drug", em alusão ao sistema de produção da maconha.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade