Publicidade

Estado de Minas

Polícia encontra cabeça e espada usada em esquartejamento em Governador Valadares

Segundo policial, adolescente de 15 anos confessou o crime e apontou os locais onde a cabeça e os objetos foram deixados. Na delegacia, ele disse que ele e a avó foram ameaçados pela vítima


postado em 19/09/2018 12:54 / atualizado em 20/09/2018 07:33

Espada usada no crime foi apreendida pela polícia ainda ontem(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Espada usada no crime foi apreendida pela polícia ainda ontem (foto: Polícia Militar/Divulgação)

A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta quarta-feira, que foi encontrada a cabeça do homem identificado como Noé Rosa da Cruz, de 48 anos, esquartejado em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce. O crime foi descoberto ontem e dois adolescentes de 15 e 16 anos foram detidos pelo crime, sendo que o mais novo, segundo a PM, disse ser o responsável pela morte. Uma espada usada no crime também foi localizada.

O corpo de Noé foi encontrado no início da tarde de terça-feira em um barracão no Bairro Palmeiras. De acordo com o primeiro-sargento Ronilson Vieira Soares, do 6º Batalhão da Polícia Militar (PM), a corporação foi chamada por vizinhos depois que o adolescente mais velho foi visto entrando no barracão. Noé teve os dois braços arrancados e foi decapitado. Quando a polícia chegou, os dois suspeitos, que são primos, estavam perto do local. 

O adolescente de 15 anos contou onde estava a cabeça da vítima já na delegacia, para onde ele e o primo foram levados na presença de responsáveis na tarde passada. Segundo o sargento Ronilson, ele levou os policiais às margens de um aterro sanitário. A cabeça estava escondida em duas sacolas. Uma espada usada no crime e as roupas que ele vestia haviam sido jogadas atrás de uma casa que pertence à mãe dele, no mesmo bairro.  

Ainda de acordo com o militar, o mais novo confessou o crime. “Ele alega pra gente que além da vítima ter o ameaçado, tirado uma faca para ele, a vítima ameaçava a avó dele”, explica o sargento Ronilson. A irmã do menor detido falou à polícia que o homem teria tentado matá-lo em outra ocasião. O menor disse que Noé usava medicamentos controlados e usava bebida alcoólica. “Ele e o primo embebedaram a vítima e, da noite (de segunda) para a madrugada, estiveram na casa dele e cometeram o crime”. 

O sargento ainda informou que o adolescente disse ter esquartejado a vítima, enquanto o primo “deu umas cinco facadinhas porque ficou com medo”, nas palavras do menor. “Ele tentou tirar o coração do homem, mas na hora que puxou saiu uma coisa preta e ele jogou no mato. Segundo o perito, o coração estava no lugar. Ele (adolescente) falou que estava com muita raiva do moço”, contou o policial militar. 

Duas viaturas da Polícia Militar, além de uma equipe especializada da corporação que atua com a Polícia Civil estiveram no local do crime ontem. O policial também falou do cenário encontrado no barracão da vítima. “Ele morava sozinho e aparentemente a casa foi revirada, eles tiveram tempo. A espada foi limpa. Havia marcas na casa deles caminhando com os pés sujos de sangue. A vítima estava perto do portão de saída, de chinelo, calça de malha e sunga. Um cordão dele estava em cima do peito”. Na casa também foi achada uma faca de açougueiro quebrada e um pedaço de pau com marcas de sangue.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, na delegacia, em conversa com o delegado, os dois adolescentes negaram o crime. Porém, apresentaram versões confusas sobre o fato. Eles foram ouvidos pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e serão levados para o juiz ainda hoje.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade