Publicidade

Estado de Minas

Estação de Tratamento de Esgoto de Divinópolis deve ficar pronta antes de dezembro

A construção vai beneficiar aproximadamente 213 mil moradores da cidade. O investimento foi de cerca de R$ 143 milhões


postado em 06/09/2018 15:13 / atualizado em 06/09/2018 18:37

(foto: Copasa/Divulgação)
(foto: Copasa/Divulgação)

A obra que vai garantir o tratamento de 100% dos efluentes coletados em Divinópolis, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais, está próximo de ser finalizada. A Estação de Tratamento de Esgoto da Bacia do Itapecerica deve ficar pronta antes de dezembro, que era a data prevista. A construção vai beneficiar aproximadamente 213 mil moradores da cidade. O investimento foi de cerca de R$ 143 milhões.

As ações para o término do empreendimento de esgoto, considerado pela Copasa como um dos maiores de Minas Gerais, seguem a todo vapor. A estação elevatória final, que receberá todo o esgoto da cidade e o bombeará para o tratamento na ETE, já tem a sua estrutura concluída. Está sendo realizada a instalação de peças hidráulicas, elétricas e dos conjuntos de bomba.

Já está em fase final a construção dos reatores, estruturas onde é separado o efluente sólido do gasoso e do líquido. Dois dos aparelhos já estão recebendo a montagem hidráulica. Os laboratórios de análise de qualidade também estão em fase final de construção com a instalação das bancadas de análise e do sistema hidráulico dos prédios.

As ruas e calçadas de Divinópolis já estão recebendo os interceptores, que fazem parte do sistema de bombeamento. Eles vão receber o esgoto das redes coletoras e o leva para a Estação de Tratamento. Já foram construídos mais de 23 mil metros de tubulações. As estruturas estão sendo instaladas na Região Central, na Avenida JK, na Rua Pitangui e no Bairro Ponte Funda.

De acordo com a Copasa, serão instalados 6.130 metros de redes coletoras, 74,4 mil metros de interceptores, 14 travessias, 10 estações elevatórias e respectivas linhas de bombeamento. Quando finalizada, a estação terá capacidade de receber e tratar 400 litros de efluente por segundo (l/s).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade