Publicidade

Estado de Minas

Homens explodem caixa eletrônico e acabam presos

Segundo a PM, a explosão foi tão grande que derrubou a casa localizada em cima do banco, em São Geraldo do Baixio. Quatro pessoas ficaram feridas


postado em 04/09/2018 21:44 / atualizado em 04/09/2018 22:58

Alguns artefatos não chegaram a explodir(foto: Reprodução/ Polícia Militar)
Alguns artefatos não chegaram a explodir (foto: Reprodução/ Polícia Militar)
Cinco homens foram presos na manhã desta terça-feira após ataque a caixas eletrônicos com o uso de explosivos na cidade de São Geraldo do Baixio, no Vale do Rio Doce. Quatro pessoas ficaram feridas.

 

Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar, a explosão dos caixas, na madrugada desta terça-feira, foi tão grande que a residência localizada em cima do banco desmoronou. Nela estavam quatro moradores: duas mulheres, uma de 20 anos e outra de 41, e dois homens, um deles de 71. Os feridos foram foram levados ao hospital local e passam bem.

De acordo com o militar responsável pelo caso, coronel Marcelo Fernandes, os bandidos tentaram despistar a Polícia Militar durante a fuga. Eles espalharam miguelitos na região e atearam fogo em um veículo em uma estrada próxima, simulando uma fuga para outra cidade.

Entretanto, os policiais receberam denúncias de moradores de que havia movimentos de pessoas estranhas em uma residência. Chegando ao local, a PM abordou os homens, constatando eram os dos suspeitos do crime. Dois deles fugiram.

Ainda segundo o coronel da Polícia Militar, os bandidos, apesar de já terem passagens na polícia, eram amadores nesse time de roubo. “A dose de explosivo utilizada foi maior do que a normalmente usada nesses casos, o que provocou o estrondo e a derrubada da residência”, afirmou Marcelo Fernandes.

Após a ação dos criminosos, alguns explosivos continuaram sem ser detonados. Foi necessário o auxílio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Belo Horizonte para a retirada dos artefatos.

Com os suspeitos, os policiais apreenderam um revólver calibre 38, seis munições intactas, uma garrucha calibre 44 e cinco pés de maconha. Até o momento, não há indícios de que a quadrilha tenha conseguido roubar alguma quantia do banco.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Rachel Botelho

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade