Publicidade

Estado de Minas

Gripe já matou 64 pessoas em Minas neste ano

Somente neste ano, 64 pessoas morreram depois de contraírem o vírus Influenza


postado em 31/07/2018 16:51

O número de casos de pessoas infectadas por Influenza, causador da gripe, não para de crescer em Minas Gerais. Somente neste ano, 64 pessoas morreram depois de contraírem o vírus. Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostram um aumento de 77,77% em relação ao último boletim, divulgado em 25 de junho. Vale ressaltar que não significa que as mortes aconteceram neste período.

A maioria das mortes neste ano foi provocada pelo Influenza A não subtipado. Foram 26 pessoas que perderam a vida depois de contrair o vírus. Em seguida vem o H1N1, com 22 óbitos, o H3N2, com 13, e o Influenza B, com três. Belo Horizonte e Uberlândia, no Triângulo, são as cidades com o maior número de mortes. Foram três e quatro, respectivamente.

O boletim epidemiológico da gripe divulgado nesta terça-feira mostra que já são 252 casos de gripe provocados pelo vírus Influenza em 2018. O Influenza A, não subtipado, é o que infectou o maior número de pessoas. Foram 96 no total. Seguido pelo vírus H3N2, que levou 82 pessoas a procurarem tratamento. O H1N1 infectou 66 pessoas, e o Influenza B, oito moradores.

De acordo com a SES, a média de idade das pessoas infectadas é de 54 anos, sendo que foram registrados casos de gripe em pessoas de 0 a 96 anos. A capital mineira, Uberlândia, Pouso Alegre e Varginha, as duas últimas no Sul de Minas, foram o que mais registraram casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza.

Dois surtos foram registrados no estado. Eles acontecem quando ao menos três casos de síndrome gripal são registrados e ambientes fechados/restritos em um intervalo de sete dias entre as datas de início de sintomas. Os casos aconteceram em Congonhas, na Região Central de Minas, e Maria da Fé, no Sul do Estado, em uma casa e um asilo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade