Publicidade

Estado de Minas

Polícia investiga envolvimento da mãe em caso de bebê encontrada em Cuiabá

Mulher detida pelo crime alega que a mãe da criança teria dado a filha por não ter condições de sustentá-la, e que ela e seu marido cuidariam dela


postado em 21/07/2018 15:00 / atualizado em 21/07/2018 15:16

A Polícia Civil investiga as circunstâncias por meio das quais uma recém-nascida de 19 dias foi tirada de Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, e deixada em Cuiabá (MT). Há suspeita de que a criança tenha sido levada com consentimento da mãe. As apurações correm em sigilo. 

Na segunda-feira, uma equipe da Polícia Civil viaja à capital do Mato Grosso para trazer de volta a bebê e a acusada do crime, detida em flagrante nessa sexta-feira. De acordo com a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoas (DHPP) de Cuiabá, o bebê foi levado por Patrícia Severino da Silva, de 28 anos, que estava com mandado de prisão preventiva expedido pela justiça de Minas Gerais.

A história começou na segunda-feira da semana passada, quando a recém-nascida, então com 13 dias, foi levada por Patrícia. No dia seguinte, a mãe biológica procurou o Conselho Tutelar de Santa Rita do Sapucaí para informar que a criança tinha sido tirada de dentro de casa. “Ela não procurou a delegacia. Soubemos pelo Conselho. Avaliei que havia crime e começamos no mesmo dia as investigações. Será apurado se a mãe tem participação, se a criança foi levada com o consentimento dela, se ela se arrependeu”, afirma o delegado Diego Bruno Dias do Nascimento, titular de Santa Rita do Sapucaí. 

A polícia de Cuiabá informou que, na última quarta-feira, o setor de Inteligência de Polícia Civil de Minas Gerais entrou em contato com o núcleo de inteligência da DHPP, solicitando apoio para localizar a criança. 

Ao identificar a suspeita, os policiais mineiros constataram que Patrícia já havia sido presa em Rondônia por outro fato semelhante. Em depoimento, a acusada alegou que a mãe da criança teria dado a filha por não ter condições de sustentá-la, e que ela e seu marido cuidariam dela.

O delegado de Cuiabá, Frederico Murta, diz que recebeu informações de que Patrícia poderia fugir da cidade com a bebê. “Na minha opinião, houve realmente algum tipo de negociação entre a mãe e Patrícia. Como há esses indícios, entreguei a criança ao conselho tutelar e ela será encaminhada ao Juizado da Infância e da Juventude”, relata. O celular da acusada foi apreendido e será entregue à polícia mineira. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade