Publicidade

Estado de Minas

Suspeitos de incendiar ônibus em Venda Nova são detidos

Coletivo foi incendiado na noite de segunda-feira no Bairro Jardim dos Comerciários. Um dos suspeitos é menor de idade


postado em 10/07/2018 11:14 / atualizado em 10/07/2018 11:45

Material apreendido na casa do adolescente suspeito(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Material apreendido na casa do adolescente suspeito (foto: Polícia Militar/Divulgação)

Um jovem de 20 anos e um adolescente de 16 foram detidos entre a noite de segunda-feira e a manhã desta terça suspeitos do incêndio ao ônibus da linha 635 (Estação Vilarinho/Jardim dos Comerciários) em Belo Horizonte. Por conta do ataque, as viagens de ônibus troncais que partiam das estações Vilarinho e Venda Nova foram suspensas das 23h às 5h. As alimentadoras circularam até meia-noite.

O incêndio foi na Rua Sete de Outubro, no Bairro Jardim Comerciários C, na Região de Venda Nova. “Parei para descer passageiros e retornava para a estação. Vi quando entraram os dois pela porta traseira. Um deles pulou a roleta e veio em minha direção com uma arma e disse que era para abrir a três portas, pegar minhas coisas e descer. Tinham quatro passageiros no carro, que desceram rapidamente. Vi que o outro tinha uma garrafa pet, acredito que com gasolina”, contou o motorista V., de 32 anos.

Segundo V., os criminosos lhe disseram que não queriam fazer nada com ele, mas apenas colocar fogo no coletivo. “Fiquei em choque e um deles por duas vezes me cutucou para entregar um bilhete que não quis nem ler e entreguei à polícia. Mas antes de fugirem a pé, disseram que enquanto continuar os maus-tratos aos presos em Bicas II (penitenciária de São Joaquim de Bicas) eles vão incendiar ônibus”. As chamas danificaram duas casas e a Cemig precisou ser chamada para reparar a fiação atingida pelas chamas. 

Policiais militares do 49º Batalhão da Polícia Militar começaram a procurar os suspeitos e o maior de idade foi o primeiro a ser localizado. De acordo com a PM, ele já é conhecido por atuar no tráfico de drogas e cumpriu pena no presídio de Bicas II entre março e maio deste ano. Ele foi levado para a Central de Flagrantes da Polícia Civil (Ceflan 4). 

Após incêndio a coletivo, ônibus que atendem a região foram recolhidos e só voltaram a circular depois das 5h desta terça(foto: Túlio Santos/EM/DA Press)
Após incêndio a coletivo, ônibus que atendem a região foram recolhidos e só voltaram a circular depois das 5h desta terça (foto: Túlio Santos/EM/DA Press)


Após a prisão, eles conseguiram identificar o adolescente suspeito e foram até a casa dele. “Nós continuamos as diligências na madrugada. Já sabíamos quem era, já tínhamos a qualificação e a identificação positiva de ele ter participado”, explica o tenente-coronel Valmir José Fagundes, comandante do 49º Batalhão da PM. “Localizamos a camisa do Barcelona (uma das características repassadas à polícia) na casa dele, com odor de combustível, encontramos uma arma de fogo atrás do armário dele, uma embalagem com munição. Temos muitos elementos de convicção de que ele participou do crime”, disse o militar. Um galão de combustível também foi apreendido no quintal da residência. 



Quando os materiais foram apreendidos, segundo o comandante, o adolescente não foi encontrado. Ele teria fugido de casa pulando muros e telhados de imóveis vizinhos. A apreensão ocorreu na manhã desta terça-feira. Ele foi levado para a 9ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP) e de lá seria encaminhado à Polícia Civil. 

Sobre a motivação da queima do ônibus, além do bilhete, os militares levantam uma outra hipótese. “Ontem por volta das 17h30 esses dois foram abordados numa motocicleta que estava em situação irregular e foi apreendida. Ficaram indignados com a apreensão e esse seria um dos motivos”, disse o tenente-coronel Valmir. O suspeito de 20 anos também é inabilitado.

A Polícia Civil informou nesta manhã ao em.com.br que já investiga o caso, mas não passará mais detalhes para não prejudicar as apurações. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade