Publicidade

Estado de Minas

Frequentadores noturnos se surpreendem com fechamento da Praça da Liberdade para reforma

Apesar de entender a importância da revitalização, público fiel das noites no espaço sugere que fechamento deveria parcial


postado em 29/06/2018 22:00 / atualizado em 30/06/2018 00:00

O casal Mirelle e Mário, com Bento, vai ter que mudar a rotina dos passeios noturnos na praça(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)
O casal Mirelle e Mário, com Bento, vai ter que mudar a rotina dos passeios noturnos na praça (foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)
O público que frequenta a Praça da Liberdade à noite foi surpreendido nesta sexta-feira pelos primeiros tapumes que, até o domingo, vão isolar o espaço público para obras de revitalização, que devem durar até novembro.

“Não sabia que a praça será totalmente fechada. Duas noites por semana é o ponto de encontro de ciclistas. Deveria ser uma reforma por partes, que não quebrasse esse vínculo das pessoas, dos grupos com esse local de referência da cidade. Enquanto tiver um buraco nos tapumes, vou continuar vindo, ou então, é apelar para o virtual para encontrar os amigos”, disse o ciclista Tiago Lagares, de 37 anos.

Já o casal Mirelle Morato, de 29, e Mário Perche, de 32, reconhece a importância de revitalização da área, de onde são vizinhos e que, praticamente todas as noites, tem frequentado nos últimos dois meses. “Antes meu marido vinha correr, até que o Bento (um cão da raça Lulu Pomeraria) entrou em nossa vida. O trazemos à noite para passear e é hora também de encontrar amigos que fizemos, também apaixonados por cães. Quando vimos os tapumes, a pergunta foi inevitável: 'para onde vamos agora'?”

(foto: Tiago Lagares diz que enquanto tiver um buraco nos tapumes vai visitar a praça)
(foto: Tiago Lagares diz que enquanto tiver um buraco nos tapumes vai visitar a praça)
Para Mário, além do momento ao lado da mulher e amigos, o fechamento do espaço vai quebrar a rotina de exercício físico. “Vim conhecendo a praça e as pessoas que a frequentam na pista para correr. É um local que se tornou ponto de encontro para as pessoas que moram nas proximidades. Será difícil ter essa reunião da noite com todos em uma outra praça. Deviam ter pensado numa alternativa”, sugeriu.

Já Iago Sabino, de 18, e seus amigos, os adolescentes Gabriel, Wendell e Antônio, têm no coreto da Praça da Liberdade um ponto de encontro da turma. “A reforma pode ser necessária, mas fechar tudo de uma vez vai nos tirar um local tranquilo, onde a gente vêm só para conversar”, disse Iago. “É ruim fechar tudo, pois aqui é o local onde, quando estamos de cabeça quente, encontramos os colegas para distrair e ter paz”, destacou Wendell. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade