Publicidade

Estado de Minas

'Prédio verde' da Praça da Liberdade vai virar Casa do Patrimônio

O anúncio deverá feito na tarde desta quarta-feira pelo governador Fernando Pimentel. Ele vai divulgar o plano de ações do estado para revitalização da Praça da Liberdade, incluindo os edifícios que remontam à época de construção da capital


postado em 09/05/2018 06:00 / atualizado em 09/05/2018 07:58

A iniciativa está prevista dentro de um plano de ações do estado para revitalização da Praça da Liberdade(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press. )
A iniciativa está prevista dentro de um plano de ações do estado para revitalização da Praça da Liberdade (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press. )

O chamado “prédio verde” da Praça da Liberdade, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, vai se tornar a Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais. O anúncio deverá feito, nesta quarta-feira, pelo governador Fernando Pimentel, que vai divulgar, às 14h, no Palácio da Liberdade, o plano de ações do estado para revitalização da Praça da Liberdade, incluindo os edifícios que remontam à época de construção da capital. O imóvel, na esquina da Rua Gonçalves Dias, data de 1897 e era a sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG), que poderá retornar futuramente ao antigo endereço.

A iniciativa do governo estadual, com participação da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), foi antecipada pelo Estado de Minas em 5 de fevereiro e 15 de março deste ano. Nas reportagens, foram mostrados alguns passos importantes do projeto, como a supressão de árvores infestadas de cupins, o que foi feito em março, recomposição dos canteiros, restauração das fontes, troca do piso e do mobiliário urbano, além de outros aspectos que, há anos, demandam urgência, a exemplo do coreto. Outra novidade é que deverão ser transferidos os postes centenários de ferro das laterais para o interior da praça, favorecendo a iluminação e a harmonia com o espaço inaugurado em 1897 e tombado há 40 anos pelo Iepha.

Em nota divulgada ontem, o governo informou que a reforma da praça será realizada pelo estado, por meio do Iepha, em conjunto com a PBH e a Vale. As melhorias nos edifícios do Circuito Liberdade terão ainda a participação da Secretaria de Administração Prisional (Seap), com a parceria das empresas Coral, via programa Tudo de Cor, e Casa & Tinta e do Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de Minas Gerais (Sicepot-MG).

Durante o evento será divulgada a inauguração “do novo espaço cultural destinado à população: a Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais”. Segundo apurou o EM, o espaço será totalmente dedicado às questões ligadas ao tema, como exposições, recepção aos representantes de municípios, para discutir assuntos do patrimônio, reunião do Conselho Estadual do Patrimônio Cultural (Conep) e outros.

Degradação


Nos últimos meses, a Praça da Liberdade, que sofre os impactos do tempo, do uso constante e de atos de vandalismo, está no foco das atenções urbanas. Em fevereiro, o coreto foi pichado. No ato, os agressores sujaram a fachada do equipamento com tinta spray preta. Em 2013, ele foi reinaugurado depois de dois anos interditado. Voltando no tempo, há mais episódios lamentáveis, que entristecem os frequentadores: em 2010, foi furtada a placa de bronze medindo 60cm de altura x 40cm de largura, que identificava o busto do imperador dom Pedro II (1825-1891).

No âmbito político, o governador Fernando Pimentel desativou o Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, no Bairro Serra Verde, em Venda Nova, e consolidou o Palácio da Liberdade, em estilo eclético com influência neoclássica, como sede do Executivo estadual – desde 2015, o governador petista despacha no prédio centenário, em estilo eclético, que data da época da fundação da capital. O local foi adotado e totalmente recuperado pela Vale em 1991, na obra de restauro comandada pela arquiteta Jô Vasconcelos, seguindo o estilo paisagístico de sua primeira reforma, datada da década de 1920, ano da visita dos reis da Bélgica a BH. O pioneirismo na adoção virou referência e sedimentou o Programa Adote o Verde, uma iniciativa municipal que permite a empresas, instituições e indivíduos adotar e revitalizar espaços públicos municipais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade