Publicidade

Estado de Minas

Irregularidades em hospital na Serra do Curral serão averiguadas

Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal vai averiguar denúncias de que o hospital da Oncomed, no Mangabeiras, descumpre regras ambientais e urbanísticas


postado em 09/06/2018 17:14

Hospital oncológico pode trazer impactos ao meio ambiente e ao patrimônio urbanístico(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A.Press)
Hospital oncológico pode trazer impactos ao meio ambiente e ao patrimônio urbanístico (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A.Press)
O descumprimento de normas urbanísticas e ambientais na obra do hospital oncológico da Oncomed, antigo Hospital Hilton Rocha, será averiguada por integrantes da Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana da Câmara Municipal de Belo Horizonte. Os vereadores receberam denúncias de moradores e entidades ambientais preocupados com a situação devido à construção estar na Serra do Curral e pretendem verificar a situação nesta terça-feira (12).

O vereador Osvaldo Lopes (PHS), autor do requerimento, afirma que a visita foi acertada na audiência pública que debateu no último dia 22 de maio os impactos do empreendimento, situado em área tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A vista técnica tem o objetivo de fiscalizar o andamento e apurar a suposta extrapolação do projeto original e descumprimento das normas ambientais e urbanísticas que protegem a região.

Moradores e ativistas dão abraço simbólico em protesto contra novo hospital(foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
Moradores e ativistas dão abraço simbólico em protesto contra novo hospital (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
Antes, há 40 anos, a construção abrigava a Clínica Oftalmológica e Centro de Pesquisas da Fundação Hilton Rocha. As denúncias dão conta de que as intervenções não se restringem a uma simples reforma, como acertado, mas o antigo prédio estaria sendo demolido para dar lugar a um grande hospital, e a área ocupada passará de 21.115 m2 para 39.500 m2.

A preocupação é de que a estrutura traga danos à flora e à fauna do local, que funciona como um corredor ecológico entre três importantes áreas de preservação ambiental, devido à grande circulação de pessoas e veículos e à geração de resíduos gerados por esse tipo de empreendimento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade