Publicidade

Estado de Minas

Homem apontado como um dos articuladores de ataques em MG é morto em ação da PM

Creonte dos Santos Nogueira, conhecido como Psico, é suspeito de fazer parte de uma organização criminosa paulista que age dentro e fora dos presídios. Ele seria o mandante do ataque contra a casa de um sargento da PM em São Lourenço, na mesma região


postado em 07/06/2018 16:49 / atualizado em 07/06/2018 16:56

As forças de segurança de Minas Gerais continuam empenhadas para tentar encontrar os responsáveis pela série de ataques no estado que tiveram início no domingo e continuam amedrontando as cidades mineiras. Ao mesmo tempo, operações acontecem nos municípios na tentativa de encontrar os autores. Em uma dessas ações, que aconteceu na madrugada desta quinta-feira, em Pouso Alegre, na Região Sul de Minas, um  homem apontado como um dos articuladores dos atentados acabou morto por policiais militares.  Creonte dos Santos Nogueira, conhecido como Psico, é suspeito de fazer parte de uma organização criminosa paulista que age dentro e fora dos presídios. Ele seria o mandante do ataque contra a casa de um sargento da PM em São Lourenço, na mesma região.

A operação para tentar prender Creonte foi montada depois que o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) conseguiu informações sobre a localização do criminoso, que estava foragido da Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Foi identificada a localização de Creonte, que estaria morando em Pouso Alegre.

O Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) foi acionado e enviou equipes à cidade. Os militares foram até o Bairro Jardim Olímpio na tentativa de prender o criminoso. Um cerco foi montado na residência para impedir uma possível fuga. Na ação, segundo a PM, a luz do quarto foi acesa e uma moradora chegou na janela. Ao ver a movimentação policial, correu.

Um militar perguntou a ela sobre a presença de Creonte, mas ela negou que ele estaria no local. De acordo com a PM, o homem tentou fugiu pelos fundos do imóvel, mas voltou para dentro da casa ao ver a presença de outros policiais. Um tenente entrou no local e entrou em luta corporal com o homem, que segurou a arma do oficial. Enquanto isso, o criminoso tentava, segundo informações do boletim de ocorrência, apontar um outro revólver que segurava na mão direita para o militar.

Na briga, o suspeito caiu no sofá com a arma na mão. De acordo com a PM, ele fez um movimento para disparar contra os policiais. Por causa disso, os policiais acabaram atirando contra ele. O homem foi atingido por quatro tiros e foi socorrido pelas equipes até o Hospital das Clínicas Samuel Libânio, mas não resistiu aos ferimentos. O militar que lutou com ele também precisou de atendimento médico.

Segundo a PM, no bolso da calça do homem foram encontradas munição calibre 9 milímetros. Creonte tinha passagens pela polícia por tráfico de drogas e homicídio. Foram apreendidos pelas equipes celulares, computadores, documentos e anotações, que segundo a corporação, continham informações sobre a organização criminosa.

Alfenas



Um dos envolvidos na onda de ataques em Minas Gerais foi preso por policiais militares nesta quinta-feira. Joel Aparecido Marques, conhecido como Jô, é apontado como um dos autores de disparos contra o segundo grupamento do primeiro pelotão da 18ª Companhia de Meio Ambiente da Polícia Militar (PM) de Alfenas, na Região Sul de Minas Gerais, na madrugada desta quinta-feira. Ele acabou identificado durante uma operação do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade