Publicidade

Estado de Minas

Nova paralisação: metroviários marcam início de greve para a próxima terça-feira

Transporte sobre trilhos vai funcionar em escala mínima entre 5h e 8h30; não haverá atividade no restante do dia


postado em 24/05/2018 20:16

Categoria cobra reajustes dos anos 2016 e 2017, além de garantir direitos como auxílio-amamentação e auxílio-maternidade (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Categoria cobra reajustes dos anos 2016 e 2017, além de garantir direitos como auxílio-amamentação e auxílio-maternidade (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Na próxima terça-feira, o metrô de BH vai funcionar com escala mínima no período da manhã e sem qualquer movimentação no restante do dia. A medida ficou definida durante assembleia realizada pelo Sindicato dos Metroviários de Belo Horizonte (Sindimetro/BH), na noite desta quinta-feira.


De acordo com Romeu Machado Neto, membro da diretoria do sindicato, a decisão partiu da falta de reajuste salarial nos últimos dois anos e do corte de direitos. "Estamos desde o ano passado reivindicando nosso reajuste. Neste ano, a CBTU veio com uma proposta ridícula com retirada de cláusulas", ressaltou.


No total, segundo o Sindimetro/BH, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) quer reduzir 13 cláusulas dos trabalhadores. Entre os itens, estão os auxílios amamentação e materno-infantil, ligados às conquistas das mulheres.


Outra mudança, na versão da categoria, se dá na adoção de banco de horas durante o expediente dos metroviários. A paralisação não tem data para terminar e as negociações entre as partes tem mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST).


Procurada pela reportagem, a CBTU informou que ainda não foi notificada do ato.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade