Publicidade

Estado de Minas

Homem é preso por suspeita de coagir sexualmente esposa e filho de 10 anos

De acordo com a Polícia Civil, ele também abusava de mãe e filho. Caso se repetiu por pelo menos 20 vezes


postado em 18/05/2018 20:55 / atualizado em 18/05/2018 21:31

Um crime bárbaro chocou Janaúba, no Norte de Minas, nesta sexta-feira. De acordo com informações da Polícia Civil da cidade, um homem de 34 anos foi preso suspeito de coagir a esposa a manter relações sexuais com o próprio filho, de 10. Aos policiais, a mulher disse que o abuso se repetiu por pelo menos 20 vezes nos últimos dois anos e meio, desde quando a criança tinha 8.

A denúncia foi feita nessa quinta-feira, na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da cidade. Segundo a corporação, o homem também abusava pessoalmente de mãe e filho. Ele, que tem uma extensa ficha criminal, por ter praticado delitos como porte ilegal de arma de fogo, uso e tráfico de drogas e outros crimes de violência doméstica, ameaçava a mulher e a criança de morte. Conforme a denúncia, o suspeito também agredia fisicamente as vítimas.

O que teria motivado a mulher a procurar ajuda, nessa quinta-feira, foi a possibilidade de ele ser preso por quebra do livramento condicional. 

Denúncia

No país, de acordo com o Ministério dos Direitos Humanos, apenas em 2015 e 2016, 37 mil casos de denúncia de violência sexual envolvendo pessoas com até 18 anos foram acolhidos pelo Disque 100, canal de denúncia. Desse total, 72% eram referentes a abuso sexual e 20% a exploração sexual. Os outros números eram ligados a pornografia infantil, estupro, entre outras violações.

Para relatar casos de violência contra crianças e jovens, o Disque 100 recebe ligações gratuitas e anônimas. O atendimento, que funciona 24 horas, é feito também aos sábados e domingos. Além do canal telefônico, o aplicativo Planeja Brasil, disponível para download em celulares com sistemas Android e iOS, recebe queixas e as encaminha à Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos.

* Estagiário sob supervisão do editor Roney Garcia

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade