Publicidade

Estado de Minas

Polícia investiga suspeita de abuso sexual contra bebê de 1 ano em Montes Claros

O inquérito foi aberto nesta sexta-feira, Dia Nacional de Combate ao Abuso e Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Criança foi levada para o hospital pela avó com ferimentos na região genital


postado em 18/05/2018 11:23 / atualizado em 18/05/2018 14:05

A Polícia Civil e o Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente de Montes Claros, no Norte de Minas, investigam a suspeita de um menino, de 1 ano e 3 meses, ter sido vítima de abuso sexual. A criança apresentou ferimentos na região genital e, na quinta-feira à tarde, foi levada pelos pais ao Hospital Universitário Clemente de Faria. Ao constatar as lesões, os médicos do hospital acionaram os conselheiros e a Polícia Militar (PM), que registrou o caso em boletim de ocorrência. 


Nesta sexta-feira, no Dia Nacional de Combate ao Abuso e Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes, foi instaurado inquérito para a apuração do caso, que corre sob sigilo. O delegado responsável pela investigação, Carlos Alexandre Gomes dos Santos, ouviu os depoimentos dos pais da criança, que mora com a mãe e a avó.

 

Aos policiais militares, os pais disseram que, ao darem banho no menino, perceberam que a criança chorava muito. Ao trocarem a fralda do filho, notaram os ferimentos na região genital e decidiram levar o menino ao hospital, onde as lesões foram confirmadas em exame pelos médicos, que decidiram acionar o Conselho Tutelar.

 

O garoto foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Montes Claros para exame de corpo de delito. O resultado do exame do médico do IML ainda não foi liberado. Ainda na tarde de quinta-feira, após receber atendimento médico, o menino foi liberado pelo hospital. Ele passa bem. 


A suspeita é que o suposto abuso tenha sido cometido por alguma pessoa do núcleo familiar da criança. No entanto, a assessoria da Polícia Civil informou que é preciso aguardar a liberação do laudo do médico do IML, confirmando que houve o abuso sexual, para investigar a autoria.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade