Publicidade

Estado de Minas

PF desmantela serviço de droga por delivery chefiado por presos em Minas

Força-tarefa cumpriu mandados de prisão e busca e apreensão em Belo Horizonte, Congonhas e em Dourados, no Mato Grosso


postado em 15/05/2018 09:45 / atualizado em 15/05/2018 15:06

A Polícia Federal (PF) desmantelou uma quadrilha especializada no tráfico de drogas com atuação em Dourados, no Mato Grosso do Sul, e Congonhas, na Região Central de Minas Gerais. A organização criminosa era liderada por dois detentos que cumprem pena na cidade do estado ao Norte do Brasil. Os presos realizavam as operações por um celular direto das celas.
  
A quadrilha foi descoberta após quatro meses de investigação, que motivaram a Operação Profetas, deflagrada nesta terça-feira. Conforme a corporação, 11 pessoas foram presas e 15 mandados de busca e apreensão foram cumpridos, inclusive, em unidades prisionais nas duas cidades.

"Esse trabalho partiu de uma linha da Polícia Federal de combater o tráfico de drogas dentro de cidades de menor porte de Minas Gerais. A operação inicialmente era em Congonhas, mas a partir das investigações, descobrimos traficantes que traziam drogas do Mato Grosso do Sul em menor quantidade e a distribuição era feita em Congonhas no serviço de tele-droga", explica João Geraldo de Almeida, responsável pela Delegacia de Repressão às Drogas. 

As investigações apontam que a droga era despachada em quantidades de 50kg a 100kg por dois detentos de um presídio de Dourados (MS) que controlavam o esquema com um celular. "Eles faziam uso regular de telefone celular e, por isso, também pedimos buscas nas celas em que eles se encontravam", ressaltou o delegado.

O destino dos entorpecentes era Congonhas, onde outros integrantes da organização enterravam e escondiam as drogas em terrenos baldios para dificultar uma apreensão. A comercialização era realizada por delivey, em um sistema de tele-droga. Os criminosos repassavam os entorpecentes aos compradores em pequenas quantidades e em carros de passeio para não levantar nenhuma suspeita. 

"Essa ação da Polícia Federal foi executada em conjunto com as polícias Civil e Rodoviária Federal e está dentro da proposta da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco), que pretende estrangular a ação criminosa organizada no interior de Minas Gerais. Nós temos notado uma crescente atuação principalmente no tráfico de drogas e armas, e a Polícia Federal tem atuado de diversas frentes para o combate", salientou o delegado Rodrigo Morais Fernandes, da delegacia regional de combate ao crime organizado. 

Conforme as investigações da Operação Profetas, os 11 criminosos que tiveram a prisão solicitada pela Justiça possuem antecedentes criminais e há suspeita de envolvimento com crimes de homicídio, roubo e furto.
 
* Sob supervisão da subeditora Regina Werneck 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade