Publicidade

Estado de Minas

Em um fim de semana, polícia apreende quase toda maconha recolhida nas BRs em 2017

Apreensões de maconha realizadas em dois dias nas rodovias federais quase alcançam a marca do que foi recolhido no ano passado. Polícia promete apertar ainda mais o cerco


postado em 15/05/2018 06:00 / atualizado em 15/05/2018 09:29

Ver galeria . 6 Fotos Acidente na BR-262 com carreta carregada com farinha terminou em uma ocorrência de tráfico. Sob a carga, estavam escondidos vários pacotes de maconhaPolícia Militar/Divulgação
Acidente na BR-262 com carreta carregada com farinha terminou em uma ocorrência de tráfico. Sob a carga, estavam escondidos vários pacotes de maconha (foto: Polícia Militar/Divulgação )

Bastou um fim de semana com quatro ocorrências de grande apreensão de maconha nas rodovias federais que cortam Minas Gerais para a Polícia Rodoviária Federal (PRF) se aproximar da quantidade da droga apreendida em todo o ano passado. Se em 2017 as apreensões de maconha chegaram a 11 quilos, em média, por dia, em 2018 já são 28 quilos que saíram das mãos dos traficantes e foram apreendidos pela PRF todos os dias, em um período entre janeiro até 13 de maio.

Somente no sábado e domingo, a PRF apreendeu 2.861 quilos da droga, em um dos casos com apoio da Polícia Militar, chegando a 3.782 quilos apreendidos desde o início do ano. Em todo o ano passado foram 4.250 quilos que saíram do poder do tráfico. Além disso, um trabalho conjunto das polícias Federal e Militar no Triângulo Mineiro tirou de circulação mais 1,1 tonelada de maconha após uma abordagem na rodovia estadual que liga Uberlândia a Prata, mas esses dados não entram na contabilização de apreensões em rodovias federais.

O acondicionamento da droga varia, segundo o inspetor Aristides Júnior, que é chefe do Núcleo de Comunicação Social da PRF em Minas. Normalmente, nos ônibus vão quantidades menores. Nos carros de passeio a quantidade pode variar entre porções menores e grandes carregamentos. Já nos caminhões normalmente são grandes quantidades, como foi o caso da manhã de domingo na BR-262 em Juatuba, na Grande BH. Um caminhão, carregado de farinha, tombou na rodovia por volta das 9h, revelando um carregamento de maconha que chegou a duas toneladas. O condutor conseguiu fugir, mas deixou uma identificação para trás. Os policiais descobriram que ele já foi preso, porque foi encontrado um documento na cabine que pode ser do motorista, que tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas no Mato Grosso do Sul, segundo os agentes envolvidos na ocorrência. A farinha que estava no veículo é de origem paraguaia, o que leva a polícia a acreditar que o caminhão saiu da fronteira do Brasil com o país vizinho com destino a Belo Horizonte.

Na BR-262, domingo pela manhã, um caminhão com farinha tombou e, no meio, estavam duas toneladas do entorpecente(foto: PRF/Divulgação)
Na BR-262, domingo pela manhã, um caminhão com farinha tombou e, no meio, estavam duas toneladas do entorpecente (foto: PRF/Divulgação)


O inspetor Aristides Júnior diz que a criação de um canil desde o meio do ano passado para abrigar cães farejadores é um dos fatores que permite à PRF ter mais condições de identificar drogas transportadas pelas rodovias federais. Inicialmente instalado apenas em Contagem, na sede da PRF em Minas, o canil também já está presente na Delegacia de Pouso Alegre. Outra questão é a expansão dos Grupos de Patrulhamento Táticos (GPT), que hoje já estão em 10 das 18 delegacias da PRF no estado. “Eles atuam com atribuição específica para fazer o recobrimento das rodovias, fora do plantão nos postos e podem se juntar fora da área de sua delegacia para operações especiais em qualquer ponto do estado”, acrescenta Júnior. 

Na BR-116, na Zona da Mata, foram 65 quilos(foto: PRF/Divulgação)
Na BR-116, na Zona da Mata, foram 65 quilos (foto: PRF/Divulgação)
PONTO O delegado Carlos Henrique Cotta D'ângelo, que chefia a delegacia de Uberlândia da Polícia Federal, costuma lidar com muitas apreensões de drogas, não só nas estradas, porque o Triângulo Mineiro é área estratégica para distribuição da droga trazida de estados na fronteira do Brasil com países como Paraguai e Bolívia. Segundo ele, pessoas que embarcam em ônibus normalmente agem com porções já fracionadas. “Elas podem agir sozinhas, sem nenhum vínculo com ninguém e buscar a droga direto na fronteira de ônibus ou então podem levar quantidades que já foram trazidas para o interior do país para pequenas cidades”, afirma. Já os caminhões são usados por grupos que se juntam em chamados consórcios para trazer a droga da fronteira. “Chegando aqui, cada contratante coloca sua porção em um carro menor e leva para o destino final”, afirma o delegado. 

RONDA No mesmo dia em que PM e PRF apreenderam 2 toneladas de maconha na BR-262, a mesma rodovia foi palco de apreensão de mais 650 quilos da droga em Uberaba, no Triângulo. Agentes da PRF faziam ronda quando se depararam com um carro e dois ocupantes do lado de fora em um local ermo. Quando se aproximaram, os bandidos fugiram para o meio do mato. O veículo tinha queixa de roubo/furto e estava com os bancos rebatidos para acondicionar a droga. Ainda no domingo,
(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)
a PRF aprendeu 65 quilos de maconha e 100 gramas de cocaína em um veículo roubado na BR-116, em Leopoldina, na Zona da Mata. Já no sábado, dois homens foram presos em um carro roubado com 144 quilos de maconha e três quilos de crack na BR-040, em Paracatu, no Noroeste do estado. 

As ocorrências com drogas lideradas pela PRF em 2018 ainda apontam 17 mil comprimidos de ecstasy em 2018, arrecadados em abril na BR-381, em São Gonçalo do Sapucaí, todos em uma única apreensão, a maior desse tipo de entorpecente feita pela PRF em Minas. Também em 2018 já foram apreendidos 37kg de cocaína e 18kg de crack nas rodovias federais que cortam Minas, contra 193kg e 21kg, respectivamente, em 2017. Em 2017 não houve nenhuma apreensão de drogas sintéticas pela PRF em Minas, apenas dois litros de lança-perfume. Uma apreensão de drogas importante no estado, mas que não entra nas estatísticas da PRF aconteceu também neste domingo na MGC-497, rodovia que liga Uberlândia a Prata, no Triângulo. Uma investigação da Polícia Federal identificou um carregamento importante e, em parceria com a Polícia Militar, os agentes fizeram a apreensão de 1,1 tonelada de maconha em uma caminhonete Pajero. Dois suspeitos de escoltar o veículo foram presos e o motorista da Pajero fugiu.

Na ocorrência de Uberlândia, investigação da Polícia Federal identificou passagem do carregamento e apreensão foi feita com ajuda da PM(foto: PF/Divulgação)
Na ocorrência de Uberlândia, investigação da Polícia Federal identificou passagem do carregamento e apreensão foi feita com ajuda da PM (foto: PF/Divulgação)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade