Publicidade

Estado de Minas

Copasa não dá previsão para tapar cratera no Centro de BH

Operadores de redes de telefonia também estão no local para retirar emaranhado de cabos de fibra ótica que estão sobre a rede de esgoto


postado em 21/03/2018 12:19 / atualizado em 21/03/2018 12:36

Máquinas e caminhões já iniciaram os serviços nesta quarta-feira(foto: Fred Botrel/EM/D.A.Press)
Máquinas e caminhões já iniciaram os serviços nesta quarta-feira (foto: Fred Botrel/EM/D.A.Press)

Técnicos da Copasa e operadores de redes de telefonia fazem uma análise, nesta quarta-feira, na cratera que se abriu nessa terça-feira na Avenida Assis Chateaubriand, no Centro de Belo Horizonte. Obras devem ser realizadas no local. Mas ainda, segundo a Companhia, não há prazo para a conclusão do serviço. A pista entre o Viaduto Santa Tereza e o Parque Municipal continua interditada.

O buraco, de grandes proporções, foi aberto depois que uma rede da Copasa se rompeu. A Companhia foi ao local, mas descobriu que há um grande emaranhado de cabos de fibra ótica de empresas de telefonia. O material terá que ser retirado para o início das obras no trecho.

Por meio de nota divulgada nesta quarta-feira, a Copasa informou que equipes já fazem uma avaliação no local. Porém, não deu prazo para o fim dos serviços. “A Copasa informa que uma equipe técnica está trabalhando no local, ao lado do viaduto Santa Tereza, realizando a manutenção na rede de esgoto. Operadores de redes de telefonia também estão presentes para liberar a grande quantidade de cabos de fibra óptica instalados sobre a rede. Até o momento, não é possível estimar um prazo para a conclusão do serviço”, afirmou.

Segundo a BHTrans, um pequeno buraco surgiu na segunda-feira e o ponto foi sinalizado. O melhor desvio para os motoristas que estiverem na Avenida Afonso Pena, na Rua dos Tamoios ou na Rua da Bahia e quiserem acessar a Avenida dos Andradas em direção à Região Leste da capital é a Rua Espírito Santo, entrando a direita na Rua dos Tupinambás para depois chegar na Avenida dos Andradas e retomar o caminho previsto inicialmente.

Outro buraco

Um segundo buraco, menor, também está aparente na calçada ao lado do viaduto no mesmo ponto onde no fim do ano passado uma grande cratera mobilizou a Prefeitura de BH. A cratera tinha aproximadamente 3 metros de diâmetro. Por meio de nota, a Gerência de Infraestrutura Urbana da Regional Centro-Sul informou que a erosão, que se agravou pelo grande volume de chuva na sexta-feira, não tem relação com a que se abriu na mesma área em dezembro de 2017. “São pontos diferentes”, diz a nota.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade