Publicidade

Estado de Minas

Primeira quinzena de março tem aumento de 454% nos atendimentos da Defesa Civil em BH

Foram 613 ocorrências contra 153 no mesmo período do ano passado. O alto volume de chuvas superou a média histórica esperada para o mês inteiro em todas as regiões da cidade


postado em 16/03/2018 06:00 / atualizado em 16/03/2018 07:48

Uma das ocorrências atendidas pela Defesa Civil este mês foi o desabamento de um muro no Bairro São Bento(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS - 09/03/2018)
Uma das ocorrências atendidas pela Defesa Civil este mês foi o desabamento de um muro no Bairro São Bento (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS - 09/03/2018)
A Defesa Civil de Belo Horizonte trabalhou intensamente nesta primeira quinzena de março, quando fortes chuvas marcaram as madrugadas, provocando desabamentos, enchentes e alagamentos. O número de ocorrências do dia 1º até ontem chegou a 613, contra 153 no mesmo período do ano passado, uma alta de 454%.

De acordo com o mapa de solicitações atendidas pelo órgão, a ocorrência com o maior número de registros no mapa elaborado pelo órgão no ano passado foi referente a casos em que havia trincas, que somaram 17 atendimentos por parte da Defesa Civil. Esse problema se mostrou recorrente neste ano, subindo para 38 casos, com maior frequência nas regionais Barreiro, Centro-Sul e Noroeste.

Em 2018, as demandas atendidas com maior regularidade pelo órgão municipal foram referentes às ocorrências de trincas e infiltrações (69), riscos ou ameaça de escorregamentos e deslizamentos (48) e infiltração com ameaça ou risco de causa humana (42). No ano passado, todas essas modalidades somavam apenas 16 ocorrências atendidas.

Em uma das ocorrências, a Rua João Camilo de Oliveira Torres, do Bairro Mangabeiras, na Região Centro-Sul da capital, foi preventivamente interditada. Na tarde de domingo, a via foi isolada devido ao risco da queda de um muro. Segundo a Defesa Civil, o trabalho de liberação depende do proprietário da casa localizada acima do muro.

ÁRVORES
No mesmo período, a Defesa Civil atendeu também a oito ocorrências de queda de árvore e a 34 que estavam com risco de cair. Uma das ocorrências foi no sábado, na Avenida do Contorno, no Bairro Floresta, Região Leste de Belo Horizonte. No momento da queda, um carro passava. A planta destruiu dois semáforos, mas o motorista do veículo saiu ileso. O outro caso, na Avenida Raja Gabaglia, na Região Centro-Sul da capital, deixou uma faixa da pista interditada e causou grande engarrafamento nas imediações. No ano passado, nenhuma árvore caiu nesse período e houve apenas 11 atendimentos de risco de queda.

O volume de chuva em Belo Horizonte já superou a média histórica prevista para o mês (163,5mm). Em algumas regionais, o volume chegou a mais que o dobro do número. As regionais Oeste (421,4mm), Centro-Sul (407,2mm) e Noroeste (366,2mm) lideram o acúmulo de chuva. (LS*)

(*) Estagiário sob supervisão do editor Roney Garcia

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade