Publicidade

Estado de Minas

Operação termina com nove detidos por assassinatos na Grande BH

O foco inicial da investigação foram os homicídios cometidos entre duas gangues de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a do Mangueiras e a do Eucalipto, em alusão aos bairros onde se originaram


postado em 15/03/2018 18:44 / atualizado em 15/03/2018 18:53

Entre os detidos estão Wilian Gabriel, Felipe Augusto (Fuba), Thiago Almeida, que fazem parte de uma quadrilha que atua em Sabará(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Entre os detidos estão Wilian Gabriel, Felipe Augusto (Fuba), Thiago Almeida, que fazem parte de uma quadrilha que atua em Sabará (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)

A Polícia Civil de Minas Gerais apresentou nesta quinta-feira o resultado da Operação Desmatamento, que resultou no cumprimento de vários mandados referentes a homicídios cometidos em Belo Horizonte e na Região Metropolitana. Ao todo, seis pessoas foram detidas e três menores apreendidos. Ainda como saldo da ação, os policiais também encontraram armas, drogas e dinheiro proveniente do tráfico de entorpecentes. Mais de 70 agentes participaram da operação, que, de acordo com Rogério de Mello Franco, chefe do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DIHPP), foi de grande êxito.

O foco inicial da investigação foram os homicídios cometidos entre duas gangues de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a do Mangueiras e a do Eucalipto, em alusão aos bairros onde se originaram, e também serviram como inspiração para o nome da operação. O resultado foi a prisão preventiva de Willian Gabriel da Silva (vulgo Tesouro), Thiago Almeida Acácio (conhecido como Thiago Garibaldi) e Felipe Augusto Oliveira (cujo apelido é Fubá), todos da gangue do Mangueiras. Fubá também é suspeito de ter matado um policial na região do Barreiro

De acordo com o delegado Emerson Morais, a rivalidade entre essas gangues se acirrou depois que um membro do Eucalipto, que não teve o nome divulgado, se envolveu na morte de um homem conhecido como Beiço, do Mangueiras. De acordo com a Polícia Civil, Willian (um dos detidos), filho de Beiço, se juntou a Thiago e Felipe (os outros detidos) para vingar a morte do pai. Foram várias tentativas dos criminosos de encontrar o integrante da gangue rival, incluindo o disparo de diversos tiros contra a casa de seus familiares para intimidar e forçar o homem (que não teve o nome divulgado) a aparecer.

Na última tentativa de colocar o plano de vingança em prática, no último 30 de janeiro, o trio detido sequestrou Rodrigo da Silva Costa, de 14 anos, que é irmão do homem que procuravam e, segundo a Polícia Civil, não tinha qualquer envolvimento com a criminalidade. A vítima foi abordada quando saia de uma padaria, em Sabará, e foi levada até o Bairro Capitão Eduardo, Região Leste de Belo Horizonte, onde foi executado com 11 disparos de arma de fogo, a maioria na cabeça. O objetivo do trio da gangue do Mangueiras era executar o irmão de Rodrigo durante seu velório. O plano não deu certo, mas a família da vítima teve que deixar sua casa às pressas, apenas com as roupas do corpo. O ódio é tamanho, que a casa foi queimada pelos executores.

Como resultado secundário da operação, outros três membros da gangue do Mangueiras – Ivan Nascimento Arcanjo, Alexsander Ferreira de Souza, Ana Carolina da Silva Maia Santos –, foram presos em flagrante por tráfico de drogas e posse ilegal de armas de fogo. Outros três menores foram detidos e, na sequência, entregues aos pais. Ao todo, foram encontrados uma balança de precisão, uma banana de dinamite, uma submetralhadora calibre 380, cerca de R$ 1.500 em dinheiro, além de crack, maconha e cocaína.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade