Publicidade

Estado de Minas

Pastor preso na Grande BH suspeito de estuprar massagista é afastado

Igreja do Evangelho Quadrangular informou, em nota, que aguarda a investigação do caso para uma medida decisiva em relação ao religioso


postado em 15/03/2018 12:55 / atualizado em 15/03/2018 13:01

A Igreja Evangelho Quadrangular afastou, temporariamente, o pastor que está preso, acusado de ter estuprado uma massagista no último sábado em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

A instituição já havia afastado, também em medida provisória, o pastor Wilson Jorge Ferreira, de 51 anos, preso na última terça-feira e suspeito, segundo a Polícia Civil, de ter abusado sexualmente de mais de 10 mulheres. 

Em nota, a instituição afirmou que o pastor Patrick Campos Almeida, de 34 anos, foi afastado na segunda-feira, quando os dirigentes da Quadrangular tomaram conhecimento dos fatos.

“Ele foi afastado de suas funções administrativas e eclesiásticas de acordo com o estatuto da igreja, para que sejam apurados os fatos pela Justiça. O processo disciplinar está em andamento e não temos nada conclusivo”, diz o texto. 

Ainda segundo a igreja, caso as investigações confirmem as acusações feitas pela massagista, Patrick Campos será excluído do quadro de líderes religiosos da igreja, por apresentar desvio de conduta e ética. 

Denúncia de massagista 

Patrick Campos foi preso suspeito de estuprar uma massagista profissional no Bairro Veneza, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

De acordo com a Polícia Militar, a vítima combinou com o suspeito por WhatsApp uma massagem em um salão no bairro. A mulher contou aos militares que durante a massagem o autor não se conteve e forçou o ato sexual, pedindo que ela não comentasse o assunto com a dona do salão.

A vítima então procurou a companhia e denunciou o estupro. Ela foi encaminhada para o Hospital Odilon Behrens, na Região Noroeste da capital e não quis tomar coquetel anti-HIV. Os PMs foram até a igreja onde Patrick prega e o encontraram dentro de um carro. Foi dada a voz de prisão ao homem. 
 
*Sob supervisão do editor Benny Cohen

Aos policiais, ele disse que o sexo foi consentido e que a mulher o teria "provocado" por tê-lo acariciado durante a massagem. O suspeito ainda afirmou que os dois teriam tomado banho juntos na casa da mulher e que, na hora de ir embora, ela o teria levado para casa.

“Maníaco da orelha” também afastado 

Após a Polícia Civil apresentar indícios de que o pastor Wilson Jorge Ferreira, conhecido como maníaco da orelha, havia violentado mais de 10 mulheres, a instituição também afastou o religioso. 

Também conforme nota enviada pela assessoria de comunicação da Igreja do Evangelho Quadrangular, “a notícia surpreendeu a todos, as acusações são graves e demandam apuração urgentemente, o que está sendo feito”, diz. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade