Publicidade

Estado de Minas

Chuva provoca transbordamentos e queda de muro em Belo Horizonte

Temporal da madrugada desta segunda-feira veio acompanhado de muitas rajadas de vento, raios e trovões na capital mineira. Um muro caiu em cima de um carro no Bairro Prado


postado em 05/03/2018 06:56 / atualizado em 05/03/2018 10:04

Ver galeria . 15 Fotos Estrutura do muro que pertence à Academia de Polícia Militar ficou completamente destruída e parte dos entulhos ficaram sobre um carro no Bairro Prado Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press
Estrutura do muro que pertence à Academia de Polícia Militar ficou completamente destruída e parte dos entulhos ficaram sobre um carro no Bairro Prado (foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press )
A chuva que assustou moradores de Belo Horizonte na madrugada desta segunda-feira provocou o transbordamento do Córrego Ferrugem no encontro com o Ribeirão Arrudas, nos limites entre a Região Oeste de BH e Contagem, e do Ribeirão do Onça, na Região Norte da capital mineira. No primeiro caso, foi necessário acionar um plano de bloqueio na Avenida Tereza Cristina e no segundo houve alagamento de algumas casas na Rua 50-A, de acordo com a Defesa Civil.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a corporação registrou quatro chamados relacionados ao temporal. Um homem ficou ilhado no Bairro Nova Cachoeirinha dentro de um carro, mas quando os militarem chegaram o nível da água já tinha baixado e a vítima conseguiu retirar o veículo. Também há registro de queda de parte de um muro que pertence à Academia de Polícia Militar na Rua dos Pampas, no Prado. A estrutura desabou em cima de um veículo em frente ao número 700.

Estrutura do muro que pertence à Academia de Polícia Militar ficou completamente destruída e parte dos entulhos ficaram sobre um carro(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS)
Estrutura do muro que pertence à Academia de Polícia Militar ficou completamente destruída e parte dos entulhos ficaram sobre um carro (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS)
As outras duas chamadas se referem ao alagamento do Ribeirão do Onça. A tempestade obrigou a Defesa Civil a enviar servidores do órgão e da Guarda Municipal para fazer o acompanhamento visual dos cursos d'água que passam pelas avenidas Tereza Cristina, Heráclito Mourão de Miranda, Professor Clóvis Salgado, Vilarinho, Bernardo Vasconcelos, Cristiano Machado, Rua dos Limões (Bairro Maria Goretti) e Rua 50A (Novo Aarão Reis).

Entre 1h30 e 2h50 da madrugada a Defesa Civil registrou 45,6 milímetros de chuva na Região Nordeste da cidade, local com maios quantidade de chuva neste período.

Ribeirão do Onça transborda e alaga casas no Novo Aarão Reis


Moradores da Rua 50-A, no Bairro Novo Aarão Reis, Norte de BH, amanheceram contabilizando os prejuízos da tempestade que durou cerca de uma hora na madrugada desta segunda-feira.

O nível do Ribeirão do Onça subiu com a intensidade das chuvas e alagou várias casas na beira do manancial. A diarista Natália Rafaela Barbosa da Silva, 30 anos, conta que quando o temporal começou, entre 1h e 2h da madrugada, ela e os três filhos ficaram acordados.

"Todo mundo sabe que aqui tem risco de alagar, então, quando chove nós não dormimos. A água entrou cerca de meio metro na minha casa e estragou a geladeira, que já era de doação, o sofá e um armário", diz ela.

O Corpo de BOmbeiros registrou dois chamados por conta do alagamento das casas na Rua 50-A e a Defesa Civil enviou servidores do órgão e também da Guarda Municipal para monitorar visualmente a situação do Onça e de outros córregos que cortam a cidade.

Sem parentes em Belo Horizonte, Natália diz que não tem como recuperar os móveis atingidos e pede qualquer tipo de doação. "Tenho que correr atrás de tudo de novo para mim e meus três filhos. É uma tristeza muito grande e sensação de impotência, porque não temos certeza das nossas coisas", afirma.

Nível da água abaixou na Rua 50-A, mas a marca ficou no muro das casas da via(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS)
Nível da água abaixou na Rua 50-A, mas a marca ficou no muro das casas da via (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS)


CONTAGEM Em Contagem, na Grande BH, a Defesa Civil municipal informou que o temporal da madrugada, de cerca de 21 milímetros, causou alagamentos em alguns pontos da cidade. Conforme o órgão, pontos de alagamentos foram registrados na Trincheira do Itaú, Avenidas Tito Fulgêncio e Tereza Cristina, além de ruas nos Bairros Nacional e Água Branca.

 

Sinais em flash


Alguns semáforos amanheceram em flash na Região Centro-Sul de BH. Na Praça da Savassi, apenas o semáforo da Getúlio Vargas funcionava normalmente, provocando confusão no início da manhã de hoje. Também houve problemas nos sinais do cruzamento da Rua Fernandes Tourinho com a Avenida Getúlio Vargas e da Rua Alagoas com a Avenida Cristóvão Colombo. Por volta das 8h20, os problemas nos equipamentos da Região Centro-Sul começaram a ser resolvidos. Conforme um agente da BHTrans, há registro de falhas em mais de 50 semáforos de toda a cidade.

Confira o volume de chuva da madrugada de hoje (entre 1h30 e 2h50) por região em BH:


Norte - 27,2
Barreiro - 28,2
Venda Nova - 28,8
Centro-Sul - 31,6
Oeste - 37,2
Pampulha - 40,0
Noroeste - 41,6
Leste - 45,4
Nordeste - 45,6

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade