Publicidade

Estado de Minas

"A gente fica transtornado", diz pastor que teve casa atingida por enchente na Vila São Paulo

Morador lamenta incidência de enchentes e contabiliza os prejuízos em meio ao rastro de destruição do temporal


postado em 02/03/2018 10:24 / atualizado em 02/03/2018 11:05

O pastor Wilson Pereira de Souza, 48 anos, passou momentos de apreensão na manhã desta sexta-feira. Logo no início da manhã ele a esposa foram surpreendidos pela água que invadiu a casa dos dois na Rua Vicente Búfalo, 20, a cerca de 100 metros da Avenida Tereza Cristina, nos limites de Belo Horizonte e Contagem.
Ver galeria . 7 Fotos Morador lamenta incidência de enchentes e contabiliza os prejuízos em meio ao rastro de destruição do temporal Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press
Morador lamenta incidência de enchentes e contabiliza os prejuízos em meio ao rastro de destruição do temporal (foto: Paulo Filgueiras/ EM/ D.A Press )

 
Descendo a rua com muita intensidade, a água atingiu cerca de 45 centímetros na residência, enchendo os cômodos de lama. Para o pastor, a situação ficou pior após o deslizamento que expôs os trilhos da linha férrea no ano passado. “Depois que o barranco cedeu, eles fizeram a contenção, mas agora a água desce com tudo. Aconteceu naquele dia e agora pela segunda vez. A gente fica transtornado”, afirma.
 
Agentes da Defesa Civil de Contagem estiveram no local, mas informaram que a área pertence a Belo Horizonte, enquanto os moradores da rua dizem ser parte de Contagem. 
 
A Região Oeste de BH registrou 94 milímetros de chuva de 0h até 8h50 da manhã desta sexta, enquanto o esperado para todo o mês de março é 163 milímetros. “Eu acordei minha esposa na hora que a água começou a entrar, se não ela poderia até ter morrido. Espero que alguma coisa seja feito em relação à contenção da linha férrea, pois agora a água começou a entrar aqui em casa”, acrescenta o pastor.

Ocorrências da manhã 

A Defesa Civil de Belo Horizonte informou que atendeu, durante o temporal desta manhã de sexta-feira, 22 ocorrêcias relacionadas à chuva. Alagmentos, queda de árvores, desabamento de muros foram os registros de maior incidência. Regiões Oeste, Centro-Sul e Nordeste da capital foram as que mais registraram ocorrências nesta manhã.  
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade