Publicidade

Estado de Minas

Professor de medicina da UFMG é internado em BH com suspeita de febre amarela

Parentes e amigos se mobilizam na internet para angariar doações de sangue para o médico endocrinologista e professor do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Rodrigo Bastos Fóscolo


postado em 21/02/2018 15:45 / atualizado em 21/02/2018 22:01

O professor está internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Felício Rocho(foto: Reprodução / TV UFMG)
O professor está internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Felício Rocho (foto: Reprodução / TV UFMG)

As autoridades de saúde de Belo Horizonte estão investigando um caso suspeito de febre amarela de um morador da capital mineira internado em estado grave no Hospital Felício Rocho. Parentes e amigos se mobilizam na internet para angariar doações de sangue para o médico endocrinologista e professor do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Rodrigo Bastos Fóscolo, que está internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da unidade de saúde da Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

O fígado de Rodrigo teria sido afetado por  uma provável infecção pela doença, que foi notificada pelo hospital à Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte. A pasta informou que recebeu o comunicado na terça-feira e o caso está em investigação. Estão sendo feitos levantamentos para detectar se o paciente foi vacinado e o possível local de contágio, caso seja confirmada a febre amarela.

O hospital confirmou à reportagem que está tratando o caso como febre amarela, motivo pelo qual a Secretaria Municipal de Saúde foi avisada. A informação se espalhou em grupos de WhatsApp e também em publicações pelo Facebook, por meio de um pedido de amigos e parentes de Rodrigo. Eles solicitam que quem puder doar sangue vá ao banco Hemoter, na Rua Juiz de Fora, 861, no Barro Preto (Centro-Sul de BH), informando o nome do paciente que necessita da ajuda.

Vinculado ao Departamento de Clínica Médica da UFMG, Rodrigo Fóscolo está afastado de suas atividades por uma licença médica e seu caso é acompanhado de perto pela universidade, de acordo com a assessoria da Faculdade de Medicina da UFMG. Rodrigo também atua no Centro Fóscolo, especializado em clínica médica, endocrinologia e metabologia e nutrologia.

O último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES), divulgado ontem pela pasta, aponta sete casos confirmados de febre amarela de moradores de Belo Horizonte, sendo que três são de pacientes que morreram. Os outros quatro são de pessoas que ou tiveram alta ou ainda estão internadas. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde de BH, até o momento não foi registrado nenhum caso de febre amarela com transmissão na capital mineira. Todos os casos são importados de outras cidades.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade