Publicidade

Estado de Minas

Mais uma cidade mineira decreta situação de emergência por causa da febre amarela

A Prefeitura de Santana dos Montes, na Região Central do estado, decretou emergência depois que um morador foi confirmado com a doença e devido à morte de nove macacos contaminados


postado em 21/02/2018 15:13 / atualizado em 21/02/2018 21:55

A cobertura vacinal na cidade está em 88%, segundo a prefeitura(foto: Viacao Cipo/Divulgação)
A cobertura vacinal na cidade está em 88%, segundo a prefeitura (foto: Viacao Cipo/Divulgação)

O avanço da febre amarela por Minas Gerais deixa mais uma cidade em alerta. A Prefeitura de Santana dos Montes, na Região Central do estado, decretou situação de emergência depois que um morador da cidade foi confirmado com a doença e devido à morte de nove macacos contaminados pela enfermidade, nos limites do município. Boletim divulgado nessa terça-feira pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) mostra que 86 pessoas já perderam a vida na temporada julho 2017/junho2018 em Minas e outras 222 pacientes tiveram a infecção confirmada.

O decreto de emergência vale por um prazo de 90 dias, podendo ser prorrogado. Ele foi assinado devido à comprovação de circulação do vírus na cidade. “Tivemos um caso confirmado da doença em uma pessoa que já está em casa e fora de perigo. Também tivemos nove ocorrências de epizootias (morte de animais) confirmadas por febre amarela”, afirmou o secretário municipal de saúde,  Rozemberg Aparecido Teixeira.

Desde segunda-feira, o município vem intensificando a vacinação com a busca ativa dos moradores que ainda não estão imunizados. Quatro técnicos do Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, estão na cidade para ajudar na ação. “Começamos a fazer rastreamento e devemos estender até domingo. Nossas equipes estão fazendo a busca de moradores de casa em casa. Pretendemos vacinar todos os 3.892 moradores”, disse o secretário. Segundo ele, a cobertura vacinal na cidade está em 88%. O índice preconizado para áreas de risco é de 95%.

Santana dos Montes responde à Regional de Saúde de Barbacena. Além dela, outras nove cidades da região já tiveram casos ou mortes em decorrência da febre amarela. A situação mais grave é em Piranga, onde dois moradores  contraíram a doença e outros dois morreram.

Com o decreto, a prefeitura pode adotar medidas administrativas para a contenção da doença, como aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços e de pessoal de forma emergencial por tempo indeterminado. Minas Gerais também já decretou emergência em 162 cidades. Em 20 de janeiro, o governo já tinha anunciado a medida para 92 municípios, das regionais de Saúde de Belo Horizonte, Itabira e Ponte Nova. Porém, dias depois publicou outro documento, que aumentou mais 68 comunidades, que fazem parte das áreas das regionais de Juiz de Fora e Barbacena foram incluídas.

Números de Minas


O estado passou São Paulo no número de mortes por febre amarela nesta temporada. Até essa terça-feira, informe da Secretaria de Estado da Saúde mineira confirmava 86 mortes. A letalidade também é a mais alta do Brasil, chegando a 38,7% na atual fase da doença, com monitoramento epidemiológico entre julho de 2017 e junho de 2018. Os dados mostram ainda que o estado computou 222 pacientes com infecção confirmada e investiga 32 óbitos e 473 casos.

São Paulo começou a temporada com números altos da febre amarela. O primeiro boletim da doença divulgado pela Secretaria de Saúde do estado vizinho, em 2 de janeiro, mostrava 53 casos confirmados e 16 mortes. Após essa data, outros sete levantamentos da pasta foram divulgados. O último deles, anteontem, contabilizava 238 casos e 85 mortes confirmados, indicando uma letalidade de 35,7%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade