Publicidade

Estado de Minas

Bandidos atacam bancos e fazem trabalhador refém no interior de Minas

Duas ocorrências foram registradas na madrugada desta segunda-feira em Belo Oriente e Unaí. Nenhum suspeito foi localizado por policiais militares


postado em 19/02/2018 12:00 / atualizado em 19/02/2018 12:42

(foto: Polícia Militar/ Divulgação )
(foto: Polícia Militar/ Divulgação )
A Polícia Militar registrou duas ocorrências de ataques a instituições financeiras na madrugada desta segunda-feira em Minas Gerais. Criminosos explodiram caixas eletrônicos em Belo Oriente, no Vale do Rio Doce, e em Unaí, Noroeste do estado, onde um homem foi feito refém durante a fuga do bando. 

Unaí 

De acordo com a assessoria de comunicação da 16º Região da Polícia Militar, oito homens chegaram a um posto de combustível no Bairro Cachoeira, em Unaí, e detonaram três caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal instalados dentro do posto. 

Durante a fuga, um funcionário de uma loja de conveniência vizinha ao terminal da Caixa foi feito refém. Ele foi colocado na caminhonete com os criminosos, mas conseguiu pular do veículo e escapar na divisa do Bairro Cachoeira com o Bairro Água Branca e não teve nenhum tipo de ferimento. 

Nesta manhã, segundo a PM, uma operação de cerco e bloqueio foi instaurada em bairros nas estradas que cortam Unaí. A ocorrência estava em andamento até a publicação desta matéria e, por isso, não foi possível saber se algum quantia em dinheiro foi levada do terminal. 

Até o momento ninguém foi preso. 

Belo Oriente 

Em Belo Oriente, os criminosos arrombaram uma agência do Banco do Bradesco e explodiram caixas eletrônicos durante a madrugada desta segunda-feira. Vidraças de lojas de roupas e calçados foram destruídas e mercadorias saqueadas. 

De acordo com a Polícia Militar, a ação se deu às 3h30. Sete criminosos armados explodiram bombas na cidade para amedrontar a população e, em seguida, foram ao banco. No terminal, caixas eletrônicos foram detonados com explosivos, mas os bandidos não conseguiram levar nenhuma em quantia em dinheiro da agência. 

Ainda conforme a corporação, lojas vizinhas ao Bradesco ficaram destruídas. Vidraças e portas foram quebradas e calçados e roupas foram saqueados. Não houve nenhum confronto entre Polícia Militar e criminosos e ninguém foi preso. 

A suspeita da corporação é de que o bando tenha fugido para cidades vizinhas em um Fiat Doblô. Buscas aos criminosos foram intensificadas na região do Vale do Aço.

Peritos da Polícia Civil foram a cidade para os trabalhos de praxe nesta manhã. 
 
*Sob supervisão do editor Benny Cohen

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade