Publicidade

Estado de Minas

Mortos em acidente com ônibus na Região do Barreiro são identificados

Dos cinco óbitos na batida do coletivo em um muro de arrimo sobre um córrego, quatro corpos já foram liberados do Instituto Médico Legal (IML) de BH


postado em 14/02/2018 08:46 / atualizado em 14/02/2018 11:56

Ver galeria . 11 Fotos Acidente com veículo da linha 305 foi às 19h15 desta terça-feira no Bairro Mangueiras. Motorista está entre as vítimas fatais Leandro Couri/EM/D.A press
Acidente com veículo da linha 305 foi às 19h15 desta terça-feira no Bairro Mangueiras. Motorista está entre as vítimas fatais (foto: Leandro Couri/EM/D.A press )

A Polícia Civil divulgou, oficialmente, na manhã desta quarta-feira, a identificação de todas as cinco vítimas que morreram no acidente com um ônibus da linha 305 (Estação Diamante/Mangueiras) na noite de ontem no Bairro Mangueiras, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte.

Morreram o motorista do ônibus, Marcio João de Carvalho, de 59 anos, Maria do Carmo Pereira dos Santos, 73, Dayse de Fátima Josino Trindade, 55, Naiara Dias Martins, 30, e Thais Soares Morais, 25. Com exceção de Thais, todos os outros quatro corpos já foram liberados do IML e encaminhados para os respectivos sepultamentos.

O ônibus ficou desgovernado na Rua José Luiz Raso e desceu quase 500 metros sem controle até que subiu em uma calçada e praticamente decolou sobre um córrego, parando sobre o curso d'água com a frente do coletivo apoiada no muro de arrimo do outro lado do canal. O acidente aconteceu por volta das 19h15 da noite desta terça-feira.

Parentes de vítimas esperam por notícias na porta do HPS(foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Parentes de vítimas esperam por notícias na porta do HPS (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
Na manhã de hoje, militares do Corpo de Bombeiros voltaram ao local do acidente para fazer uma vistoria e encontraram uma carteira de identidade em nome de Thiago Augusto Silva, de 16 anos. O trabalho é de praxe em ocorrências que acontecem no período noturno para buscar pertences que possam ter ficado presos em ferragens ou escondidos em locais de difícil acesso.

FERIDOS

Além dos cinco mortos, outras 18 pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas para três hospitais: João XXIII, Odilon Behrens e Risoleta Neves. Segundo a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), nove estão no João XXIII, das quais três em estado grave. Apesar das outras seis apresentarem quadro de saúde estável, cinco delas precisaram passar por procedimentos cirúrgicos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade