Publicidade

Estado de Minas

Sobe para sete o número de presos por ataque a banco em Rio Pardo de Minas

Quadrilha explodiu caixas de agência. Grupo cercou quartel da PM e as casas de policiais, atirando várias vezes


postado em 09/02/2018 12:54 / atualizado em 09/02/2018 13:03

(foto: Polícia Militar/Divulgação)
(foto: Polícia Militar/Divulgação)

A quadrilha que explodiu os  caixas eletrônicos da agência do Banco do Brasil em Rio Pardo de Minas, Norte de Minas, na madrugada de quinta-feira, na ação conhecida como “Novo Cangaço”, é  oriunda da Bahia. Um dos seus integrantes é de Taiobeiras, vizinha a Rio Pardo, na região Norte do estado. Já foram detidas sete pessoas suspeitas de envolvimento no crime. O cerco continua para tentar encontrar o restante do bando.

O ataque foi registrado por volta das 2h30. Segundo a Polícia Militar (PM), de 10 a 15 criminosos participaram da ação. Eles chegaram na cidade em diferentes veículos, entre eles caminhonetes e motocicletas. O grupo cercou o quartel da PM e a casa de policiais militares. Para evitar qualquer ação das forças de segurança, efetuaram diversos disparos de armas de grosso calibre. Marcas de tiros ficaram nas paredes do quartel e em veículos. Enquanto isso, parte da quadrilha foi até a agência do Banco do Brasil e explodiu caixas eletrônicos. Em seguida, fugiram levando o  dinheiro que encontraram no banco.

Logo depois do início do ataque, o reforço policial foi solicitado. A cidade foi cercada por viaturas da cidade e de municípios vizinhos. Por volta, 7h equipes conseguiram interceptar um Onix branco na estrada entre Taiobeiras e Salinas. Os militares avistaram as cédulas espalhadas pelo assoalho do veículo nas partes dianteiras e traseiras. Foram recuperados no automóvel e R$ 79 mil. No automóvel estavam quatro pessoas, sendo três homens e uma mulher. A PM informou que eles são do estado da Bahia.

Ainda durante o cerco, a PM conseguiu encontrar em Montes Claros, também no Norte de Minas, outras duas pessoas que teriam ligação com a explosão da agência. As buscas continuam na região com apoio do helicóptero da corporação e do policiamento especializado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade