Publicidade

Estado de Minas

Alvinópolis, na Região Central de Minas, registra primeira morte por febre amarela

De acordo com a Secretaria de Saúde da cidade, a vítima era um homem de 67 anos que não havia se vacinado contra a doença


postado em 29/01/2018 11:39 / atualizado em 29/01/2018 13:24

O surto de febre amarela fez mais uma vítima em Minas Gerais. Um trabalhador rural que morava em Alvinópolis, na Região Central do estado, teve a morte por complicações da doença oficalmente confirmada. 

A Secretaria de Saúde da cidade informou que o homem tinha 67 anos e não havia tomado a vacina que previne a doença. Ainda de acordo com a pasta, o homem morreu no último dia 24 e os exames que constataram o diagnóstico por febre amarela foram liberados pela Fundação Ezequiel Dias no dia 26 deste mês. 

Cristina Mendes Romão, coordenador municipal de vigilância e saúde, explica que a cidade só tinha registrado este caso da morte até a manhã desta segunda-feira. “Esse foi o único caso aqui em Alvinópolis. Nós já estamos com cobertura vacinal de mais de 90% da população, estamos indo de casa em casa. A ação começou na área rural, de mais risco por fazer divisa com cidades que tiveram outros registros e, praticamente, já cobrimos toda a zona rural,” disse. 

Apesar do alto índice de imunização, Cristina reclama da falta de procura da vacina por parte dos moradores. “Nós temos vacina suficiente para a população inteira da cidade, o que tem faltado mesmo é a procura por parte da população,” lamentou. 

Segundo Cristina Romão, uma reunião nesta segunda -feira vai definir o horário estendido de funcinamento da Policlínica Valdir Alves Pinto, onde a vacina tem sido distribuída aos moradores. 

Doença avança e mortes sobem para 28

Apesar de a Secretaria de Estado e Saúde (SES/MG) ainda não ter oficializado os números, fato que deve ocorrer nesta terça-feira com a publicação do informe epidemiológico, a febre amarela já matou, ao menos, 28 pessoas em Minas Gerais desde junho de 2017. 

No último boletim, publicado na terça-feira, o número de mortes contabilizadas pela SES era de 25. Mas além do óbito em Alvinópolis, a Secretaria de Saúde de Belo Horizonte confirmou, na última sexta-feira, que a capital mineira registrou o terceiro óbito pela doença. A vítima tinha 42 anos e morava na Região Oeste de BH, mas não contraiu a doença na cidade. Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, também foi registrado um óbito confirmado por febre amarela.

O número de casos confirmados também pode subir. São quatro mortes em investigação em Barbacena, quatro em Juiz de Fora, além de três pacientes internados no Hospital Municipal de Contagem com suspeita da doença. 

Na última sexta-feira, o governo de Minas Gerais alterou um decreto publicado no dia 20 de janeiro no Diário Oficial e ampliou de 94, para 162, o número de cidades em situação de emergência pela doença. Os municípios pertencem às Regionais de Saúde de Belo Horizonte, Itabira, Ponte Nova, Juiz de Fora e Barbacena. 

* Sob supervisão da subeditora Jociane Morais


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade